quinta-feira, 23 de novembro de 2017

A aposta em Roger Machado

Chama a atenção o prestígio desfrutado pelo técnico Roger Machado junto aos grandes clubes brasileiros. Roger acaba de ser contratado pelo Palmeiras, depois de ter trabalhado em outros dois gigantes do futebol brasileiro, Grêmio e Atlético Mineiro. A carreira de Roger ainda é curta. Antes dos três grandes, esteve em Juventude e Novo Hamburgo. Seu único título, até agora, foi o do Campeonato Mineiro desse ano, o que não impediu que ele fosse demitido, meses mais tarde. Roger ainda não cumpriu contrato em nenhum dos clubes em que trabalhou. Deixou o Novo Hamburgo para ir para o Grêmio, onde pediu demissão antes de terminar o seu contrato, e foi demitido por Juventude e Atlético Mineiro. Não há dúvida de que Roger tem boas ideias, e é um técnico moderno e inovador, mas sua trajetória ainda é curta, e superestimada. A aposta em Roger Machado é uma ação do Palmeiras com alto grau de incerteza quanto ao seu êxito. Para o técnico, é mais uma grande oportunidade para se afirmar definitivamente na carreira, ou para provar que ainda não tem estofo para desafios desse nível.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Arbitragem desastrosa

Não foi uma boa atuação do Grêmio, o gol saiu apenas no final do jogo, mas, ainda assim, o clube tem muito o que reclamar após a vitória por 1 x 0 sobre o Lanus, hoje, na Arena, no primeiro jogo da decisão da Libertadores. Afinal, a arbitragem foi desastrosa. Kannemann recebeu um cartão amarelo injustamente, que lhe deixou fora do segundo jogo da decisão, e Jael sofreu um pênalti escandaloso, que não foi marcado. Afora isso, o árbitro chileno Júlio Bascunan segurou demais o jogo, marcando faltas de forma excessiva, e foi condescendente com a cera do Lanus. A ausência de Kannemann e o pênalti não marcado poderão pesar muito negativamente no segundo jogo. Por isso, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, tem toda a razão em dizer que vai tomar providências quanto ao roubo de que o clube foi vítima, por parte da arbitragem. Seja como for, mesmo que a duras penas, o Grêmio venceu o jogo, e agora lhe basta um empate para garantir o seu terceiro título de Libertadores. Será difícil, mas o Grêmio está em vantagem, e isso não é pouco.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Contratações modestas

Se os torcedores do Inter esperavam contratações de impacto para 2018, ano em que o clube estará de volta á Primeira Divisão, parece que suas pretensões serão frustradas. O anúncio da vinda do centroavante Roger, do Botafogo, e os outros nomes de possíveis reforços que vem sendo especulados, apontam para a realização de contratações modestas. O primeiro contratado, Roger, é um centroavante de 32 anos, que rodou por vários clubes, e nunca foi um grande goleador. Os outros nomes especulados também não são capazes de gerar entusiasmo na torcida. São eles o lateral direito Ruan, do Boa Esporte, o volante Gabriel Dias, do Paraná, e o veterano atacante Silvinho, do Criciúma. A diretoria do Inter já havia revelado que o clube enfrenta dificuldades financeiras. O nível do primeiro reforço contratado, e dos outros que estão sendo cogitados, corroboram essa informação. O Inter até poderá ter um bom desempenho nas competições do próximo ano, mas não fará isso com um time de estrelas. Terá de buscar resultados pela força do conjunto, não pelo brilho das individualidades.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

O drone

A exemplo do que fizera em 2014 com o "Caso Aranha", a ESPN volta a lançar mão de uma reportagem para tentar abalar a imagem do Grêmio como instituição. Na antevéspera do primeiro jogo da decisão da Libertadores, a emissora levou ao ar uma matéria que sustenta que o Grêmio, durante todo o ano, utilizou-se dos serviços de um profissional que, usando um drone, espionava os treinos de seus adversários, captando imagens para análise tática. Ouvido a respeito pela ESPN, o diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, destacou o fato de a emissora fazer a divulgação de uma matéria que estava sendo elaborada há cinco meses, apenas dois dias antes de um jogo tão importante para o clube. Nestor Hein tem razão. O único intuito da veiculação da reportagem parece ser o de causar prejuízo ao Grêmio, sem nenhuma justificativa. O objetivo, no entanto, não foi atingido.  O Lanus, adversário do Grêmio na decisão da Libertadores, desdenhou da "informação", revelando não se importar com ela. Seja qual for o motivo que tenha levado a ESPN a tentar abalar a imagem do Grêmio, ele não será alcançado. A reportagem sobre o drone não terá o impacto esperado pelos que elaboraram a matéria. O Grêmio irá buscar o título da Libertadores sem sofrer abalos por conta de uma reportagem sensacionalista.

domingo, 19 de novembro de 2017

Poderia ter sido melhor

Nem sempre o resultado de um jogo representa fielmente o que aconteceu dentro do campo. Esse é o caso da derrota do Grêmio por 1 x 0 para o Santos, hoje, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. Antes do jogo, parecia ser inevitável que o Grêmio perdesse a partida. Afinal, jogaria com um time inteiramente reserva, treinado pelo técnico dos aspirantes, na casa do adversário, que estaria quase completo. Porém, a medida em que o jogo se desenrolava, o Grêmio mostrava estar em condições de vencer, e não fosse a imperícia de Patrick, que perdeu um gol feito, e a falta de sorte de Kaio num chute de fora da área que bateu na trave, o Grêmio teria aberto o placar. O Grêmio fez uma boa partida, e poderia ter tido melhor sorte, não fosse um descuido que permitiu ao Santos um rápido contra-ataque, que redundou no gol que lhe deu a vitória. O Grêmio foi melhor que o Santos na maior parte do jogo, e ainda teve um pênalti sobre Jael que não foi marcado. A verdade é que, diante do que se viu em campo, o resultado poderia ter sido melhor para o Grêmio.

sábado, 18 de novembro de 2017

Apito amigo

Uma das características mais marcantes da longa história do Inter é a constância com que é beneficiado pelo "apito amigo". Poucos clubes são tão favorecidos quanto o Inter por " erros humanos" dos árbitros. Hoje, mais uma vez, essa tendência se fez presente. O Inter venceu o Goiás por 2 x 0, no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, mas o resultado foi fortemente influenciado pela arbitragem, que anulou, inexplicavelmente, um gol do Goiás, quando o jogo ainda estava empatado em 0 x 0. Menos mal que o jogo pouco valia em termos de classificação, pois o Inter já garantira a sua volta á Primeira Divisão, e o Goiás não corria mais riscos de rebaixamento. O único efeito prático da vitória para o Inter foi manter a chance de obter o título da Série B, pois o América Mineiro, líder da competição, apenas empatou na rodada. Seja como for, o erro do árbitro Héber Roberto Lopes foi tão grosseiro que gerou diversas manifestações pedindo que ele encerre a carreira. Sem dúvida, é uma ótima sugestão.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

A defesa da barbárie

A direita brasileira está deitando e rolando no descalabro em que vive o país. Seus expoentes perderam qualquer inibição, e defendem abertamente o "direito" que julgam ter de discriminar, humilhar, segregar, oprimir e perseguir os que não se encaixem em sua visão elitista e supremacista de sociedade. O advogado Ives Gandra da Silva Martins, notória figura do ultraconservadorismo brasileiro, escreveu, há alguns dias, que não tem culpa de não ser negro, índio, quilombola, homossexual, guerrilheiro ou invasor de terras. Num texto carregado de cinismo, Gandra se apresenta como um homem branco, "modesto" advogado e heterossexual. O mote de sua argumentação é de que pessoas como ele estariam se sentindo um peixe fora d'água numa sociedade que defende os grupos citados. Poucas vezes se viu tanta calhordice! Gandra mistura, no mesmo balaio, origem étnica, opção sexual e postura ideológica para defender seu ponto de vista de homem branco supremacista. Em seu texto, faz referência a "injustiça" do sistema de cotas das universidades, e crítica o fato de que os cidadãos brasileiros tenham de pagar indenizações para guerrilheiros que matavam e tentavam derrubar o governo militar. A ironia grosseira de Gandra é a de que pessoas como ele estariam se sentindo "deslocadas" no Brasil atual, por não pertencerem aos grupos acima arrolados. O resumo do pensamento de Gandra é simples. O que ele e seus pares querem é o "direito" de exibirem abertamente o seu racismo, homofobia, demofobia e ódio visceral contra qualquer ideia de justiça social sem sofrer nenhum constrangimento. Na mesma linha, o não menos notório J. R. Guzzo, em mais um de seus escritos na abominável revista "Veja", reclama que o Brasil está se tornando um país de chatos, devido á ação de uma "patrulha" do pensamento politicamente correto, formada, segundo ele, por pretensas celebridades e falsos intelectuais. O que Guzzo quer, ao protestar contra a situação que descreve, é que ele, e os que partilham das suas convicções, possam continuar a rir abertamente de piadas sobre negros e "viados", manifestarem seu machismo, exercer livremente sua repulsa aos mais pobres e desfavorecidos. A direita brasileira perdeu qualquer resquício de constrangimentos em mostrar sua verdadeira face. Exibe "orgulhosa" toda a sua podridão e, por meio de escritos como os aqui referidos, protesta contra os que se rebelam contra isso. Seus integrantes estão se sentindo á vontade para expressar essas ideias, por julgarem que o momento que vive o país lhes é favorável. Podem continuar fazendo a defesa da barbárie, mas não irão calar os brasileiros que lutam por um país mais justo e igualitário, sem discriminações de cor, gênero, ou condição social.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Classificado

A fase do Grêmio é, mesmo, muito positiva. Hoje, sem entrar em campo, obteve a classificação direta para a fase de grupos da próxima edição da Libertadores. Dessa forma, independentemente do resultado da decisão da Libertadores desse ano, o Grêmio já está classificado para disputar a competição em 2018. Essa condição foi obtida devido às derrotas de Botafogo e Flamengo, hoje á noite, pelo Campeonato Brasileiro . Resta agora ao Grêmio, no Brasileirão, apenas confirmar o vice-campeonato, que lhe garantirá um prêmio financeiro bem expressivo, dado pela CBF. O ano nem terminou, e o Grêmio já se encaminha para outro cheio de boas perspectivas. Porém, tudo isso ficará obscurecido se o título da Libertadores não vier. No futebol, o que importa é ganhar. O Grêmio tem feito um bom trabalho, mas ainda não obteve títulos nas competições que disputou, até aqui. Se o Grêmio for campeão da Libertadores será um feito histórico de Renato que, assim, obteria o título da competição como jogador e, também, na função de técnico. Para o Grêmio será o indício de que uma nova fase hegemônica, com a conquista de vários títulos, está por se confirmar.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Título merecido

Como já se esperava, o Corinthians conquistou hoje, matematicamente, o título do Campeonato Brasileiro, com três rodadas de antecedência. O feito foi obtido com uma vitória por 3 x 1, de virada, sobre o Fluminense, no Itaquerão. Foi um título merecido, pois o Corinthians dedicou-se á competição do início ao fim, enquanto clubes como o Grêmio, principalmente, Palmeiras, Atlético Mineiro e Flamengo, com times potencialmente melhores, desdenharam dela em alguns momentos, para priorizar a Libertadores. O Corinthians nada tem a ver com a postura equivocada desses outros participantes, e seu título, portanto, foi meritório. Afinal, se é verdade que seu desempenho caiu muito no segundo turno, sua campanha no primeiro foi a melhor da história desde que o Brasileirão é disputado por pontos corridos.

Vice-campeonato encaminhado

O desempenho do Grêmio no Campeonato Brasileiro segue sendo, em linhas gerais, muito bom. Hoje, na Arena, o Grêmio venceu o São Paulo por 1 x 0 e deixou o vice-campeonato encaminhado, o que lhe dará, afora a classificação direta para a fase de grupos da próxima Libertadores, uma substancial premiação por parte da CBF pela posição alcançada. Como o Grêmio está com grandes chances de ser campeão da Libertadores, competição que priorizou, tudo parece muito bom. Porém, a cada rodada fica mais nítida a sensação de que o Grêmio poderia ter ganho o Brasileirão, até com alguma folga, se houvesse se dedicado a ele de forma mais intensa, sem jogar tantas vezes com o time descaracterizado,  nem desperdiçar pontos bobos, como fez ao empatar com o Vitória, no último domingo, resultado que, praticamente, entregou o título para o Corinthians. O Grêmio faz um bom trabalho em 2017, e chegou a exibir o melhor futebol do pais nesse ano. No entanto, o futebol vive de títulos. Para o bem do Grêmio, é importante que o clube ganhe a Libertadores. Caso contrário, ficará a sensação amarga de ter jogado fora o título de uma competição que se oferecia para ele, em favor de outra, sem que o objetivo tenha sido atingido.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Empate insosso

Havia grande expectativa pelo primeiro jogo da Seleção Brasileira contra uma equipe europeia, com o técnico Tite. Ele aconteceu hoje, contra a Inglaterra, em Wembley. A impressão não foi das mais positivas. A Seleção jogou completa diante de uma Inglaterra com vários desfalques. O resultado foi somente um empate insosso em 0 x 0, num jogo com raras chances de gol. A Seleção só voltará a jogar em março, apenas três meses antes do início da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. O amistoso mais importante, nesse período, será contra a Alemanha. Porém, serão poucos testes para que se possa aferir a resposta da Seleção contra adversários de maior exigência. A Seleção irá para a Copa sem que se tenha a exata noção do seu potencial.

O ponto que faltava

Depois de sucessivos adiamentos, o Inter obteve a sua classificação matemática para a Primeira Divisão. O ponto que faltava foi ganho no empate em 0 x 0 com o Oeste, hoje á noite, na Arena Barueri, pelo Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. A atuação do Inter, mais uma vez, não foi boa, mas isso pouco importa, pois o retorno á elite do futebol brasileiro foi alcançado. Se o objetivo do Inter na competição foi concretizado, isso não se deu, no entanto,  de forma brilhante. Seria de se esperar que o Inter fosse o campeão da Série B, mas isso dificilmente irá acontecer, já que o América Mineiro abriu uma vantagem de quatro pontos na liderança. Seja como for, o Inter subiu. O desafio maior começará agora, e será o de fazer em 2018 um ano de recuperação da imagem vencedora do clube. Por tudo que se viu nos dois últimos anos, não será uma tarefa nada fácil.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

A eliminação da Itália

A cada vez que se aproxima a realização de mais uma Copa do Mundo, começam a ser especulados os possíveis favoritos da competição. Costumeiramente, Brasil, Alemanha e Itália são apontados entre eles, o que é compreensível, pois das vinte Copas realizadas até hoje, eles conquistaram treze. Por isso mesmo, a eliminação da Itália pela Suécia, na repescagem, causa enorme espanto. Ela se deu no San Siro, com um empate em 0 x 0, depois de uma derrota por 1 x 0 no primeiro jogo.  A Itália já ganhou quatro Copas, e foi vice-campeã em outras duas. Na história das Copas, só havia ficado de fora em duas edições, 1930 e 1958.  Sua ausência na Copa do Mundo de 2018 causa enorme espanto, e empobrece a competição. Certamente, no âmbito interno, a eliminação deverá gerar um grande impacto, e mudanças profundas na estrutura do futebol italiano, que já vem decaindo há algum tempo. O Campeonato Italiano, por exemplo, que já foi o melhor do mundo, hoje não exibe o mesmo nível. Para os que vão assistir á Copa do Mundo, nos estádios ou pela televisão, a ausência da Itália será muito sentida. Resta esperar que o futebol italiano identifique rapidamente as razões que o levaram a ficar fora de uma Copa do Mundo, e retorne ao lugar de destaque que sempre foi seu.

domingo, 12 de novembro de 2017

Empate frustrante

Depois de duas vitórias seguidas, uma delas com o time reserva e fora de casa, o Grêmio voltou a tropeçar. Em jogo realizado no Alfredo Jaconi, em razão da Arena ter recebido um show na noite de ontem, o Grêmio teve um empate frustrante em 1 x 1 com o Vitória, hoje, pelo Campeonato Brasileiro. O Vitória saiu na frente, com um gol em impedimento. O Grêmio empatou logo a seguir, mas não conseguiu a virada, mesmo tendo um jogador a mais desde os 12 minutos do segundo tempo, depois da expulsão de Felipe Souto, do Vitória. Com pleno domínio do jogo a partir daí, e diante de um Vitória que já havia cansado, o Grêmio, no entanto, não conseguiu virar o placar. Lucas Barrios perdeu um gol feito, que poderia mudar a história do jogo. O técnico do Grêmio, Renato, reconheceu que a atuação do time não foi boa, mas apelou para a ideia de que os jogadores estão com a cabeça na decisão da Libertadores. Mera desculpa. Não foi por falta de foco que o Grêmio empatou com o Vitória. Foi por ter jogado pouco futebol. Menos mal que a classificação direta para a Libertadores está quase garantida, já que Botafogo e Flamengo perderam seus jogos na rodada. Espera-se que, contra o São Paulo, na Arena, na quarta-feira, com o time completo, o Grêmio vença e mostre um melhor futebol, ganhando confiança para os jogos contra o Lanus.

sábado, 11 de novembro de 2017

A queda de Guto Ferreira

A cada novo tropeço do Inter, ficava mais improvável a permanência do técnico Guto Ferreira para 2018. Porém, ninguém cogitava de que ele pudesse sair ainda antes do fim do ano. Afinal, faltam poucos jogos para o término do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. O quarto jogo consecutivo sem vitória, sendo três em casa, no entanto, acabaram selando a sorte do técnico. Hoje, no Beira-Rio, com um público de 33 mil pessoas, o Inter apenas empatou em 1 x 1 com o Vila Nova (GO), num jogo em que, se vencesse, se classificaria matematicamente para a Primeira Divisão. Para piorar ainda mais o quadro, o América Mineiro ganhou do Figueirense, e assumiu a liderança da Série B. Diante de situação tão negativa, a queda de Guto Ferreira acabou sendo inevitável. O auxiliar técnico Odair Helmann assumirá como interino até o final do ano. Ao Inter basta fazer um ponto, dos nove que ainda irá disputar, para alcançar a classificação matemática. Os sucessivos maus resultados, no entanto, geram inquietação no torcedor. Seja qual for o técnico que o Inter traga para o próximo ano, terá muito trabalho para recolocar o clube no seu patamar de grandeza habitual.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

O choro de Neymar

Não resta dúvida de que Neymar é o melhor jogador brasileiro da atualidade, nem de que está entre os principais de todo o mundo. Fora de campo, no entanto, Neymar está num nível bem menor. Embora já tenha 25 anos, Neymar se comporta como um eterno adolescente, temperamental e mimado. Com reações explosivas em campo, e atitudes polêmicas fora dele, costuma entrar em confronto com a imprensa. Se a qualidade de seu futebol é inegável, sua postura está longe da exibida por outros grandes craques brasileiros, de épocas anteriores. Hoje, Neymar extrapolou todos os limites, chorando numa entrevista coletiva. O choro de Neymar ocorreu após uma fala do técnico da Seleção Brasileira, Tite, que exaltou o seu caráter, boa índole e grande coração. Foi uma cena de novela mexicana, da qual o torcedor brasileiro poderia ser poupado. Tite, mais uma vez, deu sua demonstração de bom mocismo, um papel ao qual sempre se dedicou com muito gosto. A combinação do discurso politicamente correto de Tite com as lágrimas de Neymar só podem gerar como efeito a sensação de vergonha alheia.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Reações implacáveis

O momento convulsivo que vive o país e o poder esmagador das redes sociais estão mudando a postura das pessoas em relação a comportamentos que, em outros tempos, eram tolerados. Assédio sexual e racismo, por exemplo, são fatos que que geram reações implacáveis. Dois profissionais da Rede Globo sentiram na própria pele as consequências de comportamentos desse tipo. O primeiro a ser vitimado foi o ator José Mayer. Após uma denúncia de assédio sexual, feita por uma funcionária da Globo, Mayer sofreu os efeitos de uma campanha que mobilizou atrizes da casa e que resultou no seu afastamento por tempo indeterminado, decidido pela empresa. Agora, foi o jornalista William Waack que amargou os efeitos de uma atitude execrável. Um vídeo que captou um comentário racista de Waack antes de uma entrada no ar durante a eleição para presidente dos Estados Unidos, em 2016, foi divulgado, ontem, na internet. O efeito foi imediato, e levou ao seu afastamento do Jornal da Globo, onde atuava como âncora. Em nota na qual explicava a decisão tomada, a Rede Globo declarou repudiar qualquer forma de racismo, e deixou o futuro profissional do jornalista na empresa em aberto e passível de uma definição em conjunto pelas duas partes. Sem entrar a fundo no mérito das duas situações, é de se ressaltar a singularidade desse momento no país. Pela primeira vez na história do Brasil, gestos ou comentários que atentam contra a ética e a dignidade estão gerando consequências drásticas para os seus autores. As chamadas "minorias" não mais se encolhem diante das agressões sofridas. Suas vozes, ao contrário de outros tempos, ecoam fortemente na sociedade. Os casos de Mayer e Waack sinalizam que se está diante de uma nova época, em que o machismo, o racismo, e tantas outras manifestações de preconceitos contra segmentos sociais não serão mais encarados passivamente pelos atingidos. Em meio a tantas notícias desalentadoras nos últimos tempos, esse é um fato a ser saudado.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Vitória inesperada

Depois de feita a divulgação da escalação do Grêmio para o jogo contra a Ponte Preta, os prognósticos, com razão, eram bastante pessimistas. Afinal, o Grêmio decidiu colocar em campo um time muito descaracterizado, com apenas três titulares. Uma dupla de zaga com Rafael Thyere e Bressan, o calamitoso Marcelo Oliveira na lateral esquerda, um meio de campo com quatro volantes e Jael, centroavante que ainda não marcou gols pelo Grêmio, eram fatores para afastar qualquer possibilidade de um bom resultado. Porém, o Grêmio venceu a Ponte Preta por 1 x 0, hoje, no Moisés Lucarelli, pelo Campeonato Brasileiro. Foi, pelos motivos já expostos, uma vitória inesperada. O Grêmio não teve uma grande atuação, como era de se esperar, mas fez o suficiente para ganhar o jogo. A Ponte Preta, por sua vez, nada mostrou afora a violência, o que fez com que, aos 14 minutos do primeiro tempo, já tivesse Fernando Bob expulso com cartão vermelho direto, após uma entrada desleal sobre Ramiro. Marcelo Grohe, mais uma vez, teve uma atuação extraordinária. Ramiro, mesmo com sua baixa estatura, fez o gol da vitória com uma cabeçada. Everton, jogando desde o início, teve um desempenho discreto, como a maioria do time. O ponto negativo, novamente, foi Marcelo Oliveira, de péssima atuação. Com a vitória, o Grêmio encaminhou a classificação direta para a Libertadores. Por outro lado, a Ponte Preta afundou ainda mais na zona de rebaixamento. A lamentar, apenas, o fato de que o Corinthians poderia ter ficado somente cinco pontos na frente do Grêmio, caso houvesse perdido para o Atlético Paranaense, que teve um pênalti a seu favor e o desperdiçou. O Corinthians acabou vencendo a partida, e, agora, é o virtual campeão brasileiro.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Opção equivocada

A cada rodada do Campeonato Brasileiro fica mais evidente o erro de avaliação do Grêmio na disputa da competição. Com Copa do Brasil e Libertadores transcorrendo paralelamente ao Brasileirão, o Grêmio priorizou as competições eliminatórias, numa opção equivocada. Com isso, deixou escapar um título que, se houvesse encarado o campeonato com a devida seriedade, poderia conquistar até com certa facilidade. Essa constatação já ultrapassa o âmbito local. Ela foi feita por, entre outros, Fábio Sormani, comentarista dos canais Fox, e Mano Menezes, técnico do Cruzeiro. O Grêmio perdeu 16 pontos no Campeonato Brasileiro em jogos nos quais escalou times reservas. Na terceira rodada, por exemplo, jogou contra o Sport, na Ilha do Retiro, com o seu terceiro time. Obviamente, perdeu o jogo. Como bem destacou Fábio Sormani, era plenamente possível para o Grêmio ganhar o Brasileirão e a Libertadores concomitantemente, sem sacrificar uma competição pela outra. Não se pode tratar com desdém uma disputa de tamanha magnitude. Por agir assim é que o Grêmio tem apenas dois títulos de campeão brasileiro, enquanto Flamengo, Corinthians e São Paulo, os maiores vencedores da competição, possuem seis, cada um. Se o Grêmio for campeão da Libertadores, esse erro será abafado pela euforia da conquista. Porém, em caso contrário, não faltarão cobranças pela maneira negligente com que o clube tratou uma competição na qual tinha amplas condições de ser o vencedor.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Segue o jejum de vitórias

Dessa vez, os gols apareceram, mas isso não foi suficiente para o Inter vencer. O Inter empatou em 2 x 2 com o Luverdense, no Passo das Emas, pelo Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. Portanto, segue o jejum de vitórias do Inter, o que vai adiando a confirmação matemática de sua volta á Primeira Divisão. Foi um jogo franco, que poderia ter um placar muito mais amplo. O Luverdense esteve duas vezes na frente no placar, e teve várias chances para marcar mais gols, esbarrando em erros nas conclusões e em grandes defesas de Danilo Fernandes. O Inter também exigiu bastante de Diego Silva, que, igualmente, realizou defesas difíceis. A importância de Leandro Damião para o Inter ficou, mais uma vez, evidenciada, pois foram dele os dois gols do time. Se o ataque voltou a funcionar, a defesa do Inter, novamente, se mostrou falha. Sem vencer há três jogos, e adiando a confirmação de seu retorno para a Série A, o Inter continua decepcionando o seu torcedor,  e demonstrando que terá de fazer muitas mudanças se quiser ter um 2018 em condições de brigar por grandes títulos.

domingo, 5 de novembro de 2017

Teimosia

No futebol, muitas vezes, a convicção se transforma em teimosia. Esse é o caso do técnico do Grêmio, Renato, em relação ao atacante Everton. Durante muito tempo, Everton disputou com Pedro Rocha a titularidade como atacante pela esquerda. Pedro Rocha acabou ganhando a disputa. Com sua saída do clube, a condição de titular deveria, ser dada, automaticamente, para Everton. Não para Renato. Ele entendia que Everton deveria ser centroavante, o que é um equívoco gigantesco já que o jogador não possui "cacoete" nem compleição física para atuar na posição. Foi preciso que o próprio Everton dissesse para Renato que não gostava de jogar pelo meio para que o técnico abandonasse sua desarrazoada proposição. Everton deixou claro que gostaria de jogar pela esquerda, mas Renato o preteriu, mais uma vez, em favor de Fernandinho, contrariando o desejo da torcida e de boa parte da imprensa. Hoje, essa situação chegou ao limite. O Grêmio jogou na Arena, contra o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro. Fernandinho fazia uma partida pífia, e o Grêmio não saía do empate em 0 x 0. Mesmo com a atuação insatisfatória no primeiro tempo, Renato voltou do intervalo com a mesma escalação. Saltava aos olhos de todos que Fernandinho, Jael e Marcelo Oliveira eram as peças destoantes do time, mas Renato resistia em fazer substituições, mesmo depois de sofrer um gol logo no primeiro minuto do segundo tempo e estar perdendo o jogo. Até que, finalmente, o técnico do Grêmio se rendeu. Retirou Fernandinho e Jael, e colocou em seus lugares, respectivamente, Everton e Beto da Silva. A mudança foi da água para o vinho. Com apenas três minutos em campo, Everton já havia feito dois gols, e virado o jogo. Beto da Silva foi o autor da jogada do terceiro gol do Grêmio, marcado por Luan. A vitória por 3 x 1, de virada, fez o Grêmio subir para o terceiro lugar no Brasileirão, e praticamente garantir sua classificação para a Libertadores diretamente na fase de grupos. Espera-se que, depois de um exemplo tão eloquente como o do jogo de hoje, Renato se renda ao óbvio, e dê a condição de titular para Everton. A torcida não aceitará nada diferente disso.

sábado, 4 de novembro de 2017

Polarização ideológica

Ainda faltam 11 meses para a eleição presidencial, e, portanto, qualquer previsão sobre o seu resultado é muito prematura. Porém, chamam a atenção as pesquisas de intenção de voto que apresentam o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e o deputado federal Jair Bolsonaro como os preferidos do eleitorado. Esse quadro revela uma polarização ideológica, e a ausência de um nome "moderado" com capacidade de seduzir o eleitor. A batalha entre "petralhas" e "coxinhas" ainda persiste. Nenhum dos demais pré-candidatos a presidente parece ter capacidade de atrair eleitores ao ponto de se tornar uma terceira alternativa. O país seguirá dividido entre dois pólos ideológicos, o que poderá levar a uma campanha eleitoral extremamente tensa, e a um resultado que não seja devidamente assimilado pela parte perdedora. Estamos quase em 2018, mas, politicamente, 2016 ainda não acabou. Por outro lado, os dois nomes mais destacados nas intenções de voto não estão equilibrados na preferência dos eleitores. Os índices de Lula representam quase o dobro dos de Bolsonaro. Não se sabe, no entanto, se o ex-presidente poderá concorrer, ou se será preso antes da eleição. Um pleito sem que o candidato favorito possa participar tende a criar uma situação explosiva em termos de tensão social. O Brasil segue em plena tempestade, sem que se vislumbre a perspectiva de uma bonança.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Outro tropeço

Depois da derrota para o Ceará, em pleno Beira-Rio, com vaias da torcida e uma reação explosiva de D'Alessandro, esperava-se que o Inter, jogando novamente em casa, hoje, contra o CRB, tivesse um desempenho bem superior. Até porque, o adversário, ao contrário do Ceará, que disputa as primeiras posições do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, estava em décimo-sexto lugar na competição. Porém, não foi isso o que aconteceu. O Inter voltou a jogar muito mal, e ficou num empate em 0 x 0 que gerou novas vaias da torcida. Embora a diretoria do Inter sinalize pela permanência do técnico Guto Ferreira para 2018, ela fica cada vez mais ameaçada depois desse outro tropeço. O torcedor está convencido de que Guto Ferreira não tem o nível necessário para ser o técnico do Inter. Ainda que a ansiedade em obter a classificação matemática para a Primeira Divisão possa estar afetando o Inter, nada justifica que ele perca tantos pontos em casa para adversários tão modestos. Seja como for, o Inter voltará para a Série A. O que preocupa a torcida é perceber que, para ter alguma ambição na sua volta à elite do futebol brasileiro, o Inter terá de fazer mudanças numerosas e muito profundas.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

O assunto do dia

Causou impacto, hoje, o pedido feito pela ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois (PSDB), para que lhe fosse permitido extrapolar o teto salarial do funcionalismo federal, de 33,7 mil reais, e acumular seus ganhos com os de desembargadora aposentada, o que lhe proporcionaria um salário de 61 mil reais. Foi o assunto do dia. A ministra disse que, na atual situação, realiza um "trabalho escravo", e entre outras justificativas para o seu pedido, argumentou que precisa se vestir com dignidade. Depois da enorme repercussão negativa do fato, Luislinda voltou atrás em sua reivindicação. Como se vê, o governo golpista não se cansa de fornecer motivos para estarrecer qualquer pessoa que ainda se paute pela ética e seriedade. O Brasil está sendo governado por uma malta de corruptos e desavergonhados. O cinismo e a desfaçatez marcam as atitudes dos que se beneficiam do poder, em contraste com a terrível crise que afeta os brasileiros  comuns. No governo golpista e ilegítimo, nada é tão ruim que não possa piorar. Aguardemos, então, o próximo escândalo ou declaração desastrada envolvendo a máfia que governa o país, já que isso é tudo o que ela pode ofertar.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Com o regulamento debaixo do braço

Com a goleada sobre o Barcelona de Guayaquil no primeiro jogo, o Grêmio deixou sua classificação para a decisão da Libertadores bem encaminhada. Por isso, hoje, na segunda partida, na Arena, o Grêmio jogou com o regulamento debaixo do braço, e perdeu por 1 x 0. O Grêmio não teve uma boa atuação, foi surpreendido por um gol do Barcelona de Guayaquil, mas soube impedir uma reversão do confronto. O time equatoriano quase chegou ao 2 x 0, o que tornaria o jogo dramático, mas acabou cansando, e o Grêmio se valeu disso para administrar o resultado. A classificação para a decisão da Libertadores foi confirmada, e isso se impôs sobre o mau desempenho coletivo e individual no jogo de hoje. Agora, faltam só dois jogos para que o Grêmio tente obter o seu terceiro título de Libertadores.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Virada histórica

A Libertadores já tem o seu primeiro finalista definido. Numa virada histórica, o Lanus venceu o River Plate por 4 x 2, hoje, no La Fortaleza, mostrando um enorme poder de reação, e, agora, aguarda a definição do seu adversário na decisão, que sairá do jogo Grêmio x Barcelona de Guayaquil, amanhã, na Arena. O início do jogo indicava uma classificação fácil para o River Plate. Afinal, ele havia ganho a primeira partida, e logo abriu 2 x 0 no placar. Porém, com um gol no final do primeiro tempo e outro no início do segundo, o Lanus reverteu o aspecto psicológico do jogo, e partiu para uma vitória espetacular. Se o Lanus foi empolgante, o River Plate, por sua vez, mostrou uma atitude indigna de sua grandeza, ao ceder uma classificação que já estava, praticamente, assegurada. O Lanus já havia revertido uma derrota no primeiro jogo em classificação no segundo contra o San Lorenzo, sempre se valendo do fato de fazer a segunda partida em casa. Como, seja quem for o seu adversário na decisão, o segundo jogo terá por local o La Fortaleza, o Lanus possui grandes possibilidades de ficar com o título.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Cumplicidade

Em tese, os três poderes que constituem o Estado, Executivo, Legislativo e Judiciário, são soberanos e independentes. Porém, no Brasil atual, a relação entre eles é de cumplicidade no sórdido golpe que destituiu uma presidente legitimamente eleita. Cada vez fica mais claro que as três esferas de poder agem de forma associada. A proibição de um show de Caetano Veloso numa ocupação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, em São Bernardo do Campo (SP), determinada por uma juíza, é uma demonstração desse conluio. O país está sendo submetido a práticas idênticas às da ditadura militar, mas com o argumento cínico de que a Constituição foi respeitada e de que as instituições foram preservadas. Conversa fiada. O que aconteceu em 2016 não foi um processo natural de impeachment. Foi um golpe sórdido e espúrio, e medidas como a proibição do show evidenciam as semelhanças com a ditadura militar. No governo de João Figueiredo, por exemplo, a cantora Joan Baez foi impedida de se apresentar no país. Joan Baez sempre teve uma postura libertária e de combate à opressão. Caetano Veloso também, o que o fez ser perseguido pelos militares, e o levou ao exílio. Nada apavora mais os fascistas que a força das palavras, por isso eles se utilizam tanto da censura e das proibições às manifestações culturais e artísticas. O Brasil não vive uma situação de normalidade. As instituições não estão preservadas. O país está num regime de exceção avalizado por quem deveria ser um fator de resistência democrática, o Poder Judiciário. Com os três poderes agindo de forma cúmplice para solapar a democracia, o Brasil caminha, passivamente, para o caos.

domingo, 29 de outubro de 2017

Pontos desperdiçados

Parecia que o time reserva do Grêmio finalmente ganharia um jogo. Hoje, contra o Avaí, na Ressacada, o Grêmio esteve duas vezes na frente do placar, mas acabou apenas empatando em 2 x 2. A vitória teria devolvido ao Grêmio, temporariamente, o segundo lugar no Campeonato Brasileiro, mas duas falhas defensivas fizeram com que empatasse um jogo que tinha tudo para ganhar. A posição do Grêmio na zona de classificação direta para a Libertadores ainda não está ameaçada, mas a vitória traria muito mais tranquilidade nesse aspecto. Foram pontos desperdiçados pelo Grêmio, e isso é muito frustrante. Para tornar esse sentimento ainda mais forte, o Corinthians voltou a perder, o que demonstra que o Grêmio poderia vencer o Brasileirão até com alguma folga, desde que o tivesse encarado com a devida seriedade. Como o Grêmio está praticamente garantido na decisão da Libertadores, essa questão fica um tanto deixada de lado. Porém, se o Grêmio não for o campeão da competição, o clima de festa, que domina os torcedores no momento, dará lugar às cobranças por um ano sem títulos. Cabe ressaltar, no entanto, que embora o Grêmio tenha cometido erros comprometedores e perdido um gol feito numa conclusão de Michel, poderia ter vencido o jogo, pois teve um gol legítimo absurdamente anulado, por um impedimento inexistente, quando ganhava a partida por 1 x 0. Mais uma vez, a exemplo do que aconteceu contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, o Grêmio sofreu um prejuízo irreparável, determinado pela arbitragem.

sábado, 28 de outubro de 2017

Vaias

Era para ser uma festa, terminou com vaias. O Inter perdeu para o Ceará por 1 x 0, hoje, no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. Foi o maior público do estádio na Série B, mais de 38 mil pessoas. Afinal, uma vitória praticamente selaria a volta do Inter para a Primeira Divisão. Porém, o Inter não fez uma boa partida, foi derrotado, e o torcedor, frustrado com o resultado, vaiou o time assim que o jogo acabou. D'Alessandro, inconformado com as vaias, protestou diante da torcida, e impediu que seus companheiros concedessem entrevistas na saída do gramado. O tropeço fez com que a torcida, nas redes sociais, demonstrasse seu descontentamento com a qualidade do time, e considerasse o técnico Guto Ferreira sem qualificação suficiente para permanecer no cargo. Seja como for, o Inter irá subir para a Primeira Divisão, e o torcedor sabe disso. O que lhe preocupa é que, a cada jogo, fica claro que, para poder ambicionar títulos no próximo ano, o Inter terá que acrescentar muita qualidade ao seu grupo atual.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

A defesa de Marcelo Grohe

Dois dias depois que o Grêmio goleou o Barcelona de Guayaquil por 3 x 0, continua a repercutir a fantástica defesa do goleiro Marcelo Grohe numa conclusão do atacante Ariel. A incrível agilidade de Grohe no lance chamou a atenção do mundo inteiro. O jornal inglês "The Sun" chegou a expressar a possibilidade de se tratar da maior defesa da história do futebol. Uma colocação surpreendente, pois a Inglaterra é o país de Gordon Banks, autor da maior defesa da história das Copas do Mundo numa cabeçada de Pelé, em 1970, no México. O goleiro do Grêmio não teve um bom desempenho no ano anterior, e, em 2017, já sofrera críticas por algumas falhas. A defesa que fez contra o Barcelona de Guayaquil, no entanto, lhe pôs no centro das atenções, recebendo elogios de todos os lados, inclusive de companheiros de posição e ex-goleiros. Num jogo em que Luan brilhou marcando dois gols, Grohe acabou se tornando.o grande nome da partida. Lances como o de Grohe são uma das razões que explicam o poder de sedução do futebol. Em meio a rotina de jogos, vez por outra uma jogada extraordinária se transforma num fato a ser reverenciado por várias gerações. Marcelo Grohe não vive o melhor momento de sua carreira, deixou de ser lembrado nas convocações da Seleção Brasileira, mas com a defesa espetacular que fez, inscreveu seu nome na história do futebol.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Os 75 anos de Milton Nascimento

O tempo passa para todos, sem exceção. Os grandes ícones da música popular brasileira surgidos nos anos 60 são, agora, senhores e senhoras septuagenários. Os 75 anos de Milton Nascimento, completados na data de hoje, se inserem nesse contexto. Como a maioria das figuras relevantes da sua geração, Milton surgiu para o grande público por meio dos festivais. Foi num deles que Milton concorreu com "Travessia", linda música que se tornaria o primeiro grande sucesso de sua carreira. Porém, nos anos iniciais de sua trajetória, Milton se caracterizaria mais como um sucesso de crítica do que de público. Seus discos eram muito bem acolhidos pela crítica, mas não tinham grandes vendagens. Foi a partir dos anos 80 que Milton tornou-se mais popular, com várias músicas sendo tocadas no rádio, o que antes não acontecia. Com as transformações radicais ocorridas no mercado fonográfico, Milton voltou a ficar fora dos holofotes, já que o panorama musical do país, em termos de divulgação, parece se limitar ao sertanejo. Milton, no entanto, continua fazendo shows por todo o país, sempre com sucesso. Ele está, sem dúvida, no panteão dos maiores nomes da música brasileira. Parabéns, Milton!

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Muito melhor do que a encomenda

O resultado do Grêmio no primeiro jogo pelas semifinais da Libertadores ficou acima de qualquer expectativa. Hoje, em pleno Isidro Romero Carbo, o Grêmio goleou o Barcelona de Guayaquil por 3 x 0, e está virtualmente classificado para a decisão da Libertadores. Um resultado muito melhor do que a encomenda. Afinal, um empate com gols já seria bom, pois, devido ao saldo qualificado, permitiria ao Grêmio jogar por um 0 x 0 na segunda partida, na Arena. O Barcelona de Guayaquil costuma jogar melhor como visitante, mas o placar elástico da derrota que sofreu em casa torna a sua desclassificação uma tendência praticamente irreversível. A goleada do Grêmio não foi fruto do acaso. O Grêmio teve uma grande atuação, digna dos seus melhores momentos no ano. O time todo jogou bem, individual e coletivamente, com exceção de Lucas Barrios, que teve uma atuação muito apagada. Luan, que marcou dois gols, Edílson, que fez um e deu o passe para outro, e Marcelo Grohe que fez uma das defesas mais lindas de que se tem registro, foram os grandes destaques do jogo. O sonho do Grêmio está se encaminhando para virar realidade. O seu terceiro título da Libertadores já começa a se desenhar no horizonte.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Épico brasileiro

O cinema brasileiro é, costumeiramente, subestimado. Tendo os blockbusters de Hollywood como parâmetro, muitos julgam que o cinema feito no Brasil é de qualidade inferior, tanto técnica quanto artisticamente. Em termos técnicos, até um tempo nem tão distante, os filmes brasileiros apresentavam problemas como, por exemplo, a baixa qualidade do som, mas isso já ficou para trás. Os custos de produção, muito elevados, sempre foram um entrave para que se tivesse uma indústria cinematográfica brasileira sólida. Aliás, com exceção dos Estados Unidos, todos os países encontram essa dificuldade. Hoje, no entanto, o Brasil possui um volume de produção de filmes relevante. Boa parte dos filmes produzidos no país são comédias despretensiosas com atores famosos como chamariz de bilheteria, mas há, também, obras de grande qualidade. Uma prova disso é o filme "Entre Irmãs", atualmente em cartaz nos cinemas brasileiros. Ele pode ser definido como um épico brasileiro, exatamente como pretendia o seu diretor, Breno Silveira. A trajetória de Breno como cineasta ainda é recente, mas, inegavelmente, exitosa. Ele atingiu o sucesso com "Dois Filhos de Francisco", filme que se debruça sobre a vida da dupla sertaneja Zezé de Camargo e Luciano, e prosseguiu com outros trabalhos bem acolhidos por público e crítica, como "Gonzaga de Pai para Filho", no qual enfoca aspectos da vida de dois grandes nomes da música brasileira, Luiz Gonzaga e seu filho, Gonzaguinha. Em "Entre Irmãs", Silveira foi mais ambicioso, e se propôs a fazer, conforme sua própria afirmação, um épico brasileiro. Conseguiu. O filme impressiona pelo capricho da produção, a fotografia belíssima, o desempenho brilhante das duas protagonistas, Marjorie Estiano e Nanda Costa, o roteiro bem conduzido. "Entre Irmãs" é um filme para desarmar os que desdenham do cinema brasileiro. Uma competente adaptação de uma obra literária com uma história comovente. Um filme que merece ser prestigiado pelo público.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Pegou fogo

O que era inimaginável há poucos dias, tornou-se uma realidade. O Campeonato Brasileiro, que já parecia ter o Corinthians como virtual campeão, pegou fogo na sua reta final. O Corinthians, depois de um primeiro turno excepcional, entrou em queda livre, e permitiu a aproximação de adversários na classificação. A vantagem para o segundo e terceiro colocados, de seis pontos, ainda é confortável, mas faltando oito rodadas para o fim do Brasileirão, deixa a disputa pelo título em aberto. Hoje, o Corinthians perdeu por 2 x 1 para o Botafogo no Engenhão, prosseguindo em sua vertiginosa queda de rendimento. No segundo turno, o Corinthians faz a décima-sexta campanha entre os 20 participantes da competição, com um aproveitamento de apenas 36%. A grande ameaça ao Corinthians para a conquista do título, agora, é o Palmeiras, que tem seis pontos e uma vitória a menos que o seu grande rival, mas que ainda terá o  confronto direto contra ele. O Santos, também com seis pontos a menos, tem uma desvantagem de quatro vitórias em relação ao Corinthians, e os dois não vão mais se enfrentar. Esse quadro só mostra o quanto o Grêmio se equivocou no tratamento dado à competição, pois se houvesse focado nela, sem escalar reservas em vários jogos, teria tudo para ser o campeão brasileiro de 2017. A visão míope das pessoas que dirigem o clube fez o Grêmio desistir de um título que estava ao alcance de suas mãos.

domingo, 22 de outubro de 2017

Tempos distintos

A escalação de um time com nove reservas para enfrentar um adversário completo e em ascensão na tabela prenunciava a grande probabilidade de um revés, mas a derrota do Grêmio por 3 x 1 diante do Palmeiras, hoje, na Arena, pelo Campeonato Brasileiro, teve tempos distintos. No primeiro tempo, o Grêmio fez um enfrentamento equilibrado com o Palmeiras, e até poderia ter obtido uma vitória parcial, não fossem os erros de conclusão de Arroyo e Everton em duas jogadas dentro da área. No segundo, depois de voltar do intervalo com duas improvisações, em razão da saída de Bruno Rodrigo sem que houvesse um zagueiro no banco para o substituir, o Grêmio afundou. Marcelo Oliveira, que estava muito mal na lateral esquerda, tornou-se desastroso como zagueiro. O primeiro gol do Palmeiras só aconteceu porque a bola bateu nele e enganou o goleiro Paulo Victor. Antes dos dez minutos, o Grêmio já perdia por 2 x 0, com Paulo Victor "batendo roupa" e toda a defesa atrasada no lance sem conseguir impedir o chute no rebote. O Grêmio ainda sofreu mais um gol, e depois descontou. Não é verdade que os reservas tenham se mostrado descompromissados, como sustentam alguns. Não é aceitável que quando o Grêmio perca jogos o argumento para justificar o fato seja a falta de empenho ou de foco. A derrota do Grêmio,  da forma como se deu explica-se pela imperdoável imprevidência de ir para um jogo sem zagueiros no banco, e pelas escolhas equivocadas do técnico Renato nas substituições. Para solucionar a saída de Bruno Rodrigo, Renato mexeu em duas posições. Deslocou o volante Kaio para a lateral esquerda, colocando Jailson para ocupar o seu lugar. Marcelo Oliveira, então, saiu da lateral esquerda para a zaga. Muito mais simples teria sido manter Kaio na sua posição, trocar Marcelo Oliveira, que estava muito mal, por Conrado, que é lateral esquerdo, e improvisar Jailson na zaga. Renato argumentou que optou por Marcelo Oliveira na zaga porque ele já jogou por ali, e que quis preservar Conrado por ainda ser muito jovem. Desculpas inconvincentes. Conrado já jogou outras partidas pelo time de cima, inclusive fora de casa. Porque iria sentir a responsabilidade? Marcelo Oliveira, por sua vez, é um jogador tecnicamente comprometedor, e hoje não foi diferente. O Grêmio, agora, joga todas as suas fichas na Libertadores, e corre o risco de não ganhar a competição e ainda ficar fora da classificação direta para a edição do ano que vem pela via do Brasileirão, pois já caiu do segundo para o quarto lugar. Os próximos dias serão de tudo ou nada para o Grêmio, e não precisava ser assim, desde que o clube administrasse melhor a sua participação nas diversas competições ao longo do ano.

sábado, 21 de outubro de 2017

Tradição

Uma tradição que acompanha o Inter ao longo de sua história é ser beneficiado, frequentemente, por erros de arbitragem. Hoje, isso não foi diferente. O Inter venceu o Criciúma por 3 x 2, no Heriberto Hulse, pelo Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, mas chegou a ceder o empate, depois de estar vencendo por 2 x 0, e poderia ter sofrido a virada, pois, num mesmo lance, dois pênaltis escandalosos em favor do Criciúma deixaram de ser marcados. Talvez o fato de já ter marcado, anteriormente, um pênalti que resultou no empate parcial, o árbitro não teve coragem de o fazer novamente. Depois de um primeiro tempo ruim, quando apenas conseguiu descontar, o Criciúma conseguiu chegar ao empate no segundo, e pressionou em busca da vitória, mas sofreu o prejuízo irreparável dos pênaltis que lhe foram sonegados pelo árbitro. Para o Inter, segue a contagem regressiva para voltar à Primeira Divisão. Uma tarefa que se tornou ainda mais fácil com o costumeiro auxílio da arbitragem.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

A pior das imitações

Para grande parte da população brasileira, os Estados Unidos exercem um enorme fascínio, por sua imagem de poder e riqueza. Entre os brasileiros que, desiludidos, pretendem deixar o país, a maioria, provavelmente, aspira ir para a terra do Tio Sam. O destino turístico preferido da classe média alta brasileira é a Disney World. Numa visão míope e irrefletida, os brasileiros vêem os Estados Unidos como o país ideal, buscando, muitas vezes, mimetizar seus valores, e adotando termos em inglês no lugar de vocábulos do seu idioma pátrio. Fruto da ignorância e do analfabetismo funcional de muitos brasileiros, esse comportamento poderia ficar apenas no âmbito do ridículo, não fosse o fato de já se estar imitando até o que há de patológico no modo americano de ser. Foi o que ocorreu numa escola em Goiânia, onde um garoto de apenas 14 anos, atirou contra os seus colegas, matando dois e ferindo outros. O próprio garoto disse ter se inspirado em fato semelhante ocorrido em Columbine (EUA), e em outro acontecido no subúrbio de Realengo, no Rio de Janeiro, por sinal, de clara inspiração americana. Essa é a pior das imitações. O Brasil já tem mazelas demais para importar comportamentos patológicos de outros países. O autor dos disparos, que é filho de uma policial, alegou que era vítima de bullying por parte de colegas, o que, pelo que se sabe, é verdade, mas, é claro, não justifica o seu ato tresloucado. Aliás, bullying é um estrangeirismo típico da invasão de termos em inglês no vocabulário dos brasileiros. O acontecimento de Goiânia, mais do que chocar, deve levar a que se tomem medidas para prevenir a expansão desse tipo de crime. Deve servir, também, como um argumento contra os que querem rever o estatuto do desarmamento, sob a alegação de que o cidadão tem o direito de se defender. Um dos motivos da proliferação de fatos como esse nos Estados Unidos é a facilidade do acesso da população às armas de fogo. Ainda que a mãe do garoto seja uma policial, arma dentro de casa nunca é algo recomendável.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Disputa embolada

Com o complemento, hoje, de mais uma rodada do Campeonato Brasileiro, a luta pela classificação direta para a Libertadores virou uma disputa embolada. O segundo, terceiro, e quarto colocados da competição, Grêmio, Palmeiras e Santos, respectivamente, estão com 50 pontos. A vantagem do Grêmio sobre o Palmeiras se dá no saldo de gols, já que também empatam no número de vitórias. O Palmeiras, por sua vez, leva vantagem sobre o Santos no número de vitórias. Para sorte dos três, o quinto colocado, o Cruzeiro, perdeu na rodada e parou nos 47 pontos. No domingo haverá um confronto direto entre Grêmio e Palmeiras, na Arena. O jogo apresenta um dilema para o Grêmio. Se colocar um time inteiramente reserva em campo, o Grêmio corre o risco de ser derrotado, ficar três pontos atrás do Palmeiras e, diante da aproximação de outros clubes, perder seu lugar entre os quatro primeiros colocados. Se entrar em campo com o seu time completo, poderá sofrer um desgaste antes do decisivo jogo contra o Barcelona de Guayaquil, fora de casa, pela Libertadores, três dias depois. Não é uma questão de fácil resolução, pois o Grêmio precisa obter a classificação para a Libertadores de 2018 pelo Brasileirão, já que ninguém pode garantir que ele será o campeão da competição sul-americana nesse ano. Se não souber administrar bem essa questão, o Grêmio corre o risco de ficar sem nada. Seja como for, a briga pela classificação direta para a Libertadores deverá ser emocionante até o final, contrastando com a disputa pelo título brasileiro, que se encaminha para o Corinthians pela incapacidade dos seus perseguidores de diminuírem a diferença de pontos que os separam do líder, ainda que esse venha tropeçando frequentemente.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Poderia ter sido melhor

O empate em 0 x 0 entre Corinthians e Grêmio, hoje, no Itaquerão, pelo Campeonato Brasileiro, foi mais favorável ao clube paulista, que manteve sua vantagem na liderança da competição, mas, em termos de desempenho, o Grêmio foi melhor. Com a volta de Luan, o Grêmio já apresentou uma melhora, ainda que o jogador carecesse de ritmo, pelo longo tempo em que ficou ausente. O resultado poderia ter sido melhor para o Grêmio, mas, mais uma vez, faltou-lhe contundência ofensiva. Lucas Barrios foi, novamente, uma peça decorativa no ataque, não tendo chutado uma bola sequer no gol. Edílson e Jailson foram os outros dois nomes que destoaram tecnicamente no Grêmio. A manutenção de Everton como reserva é um. equívoco insistente do técnico Renato.  Porém, mesmo com todos esses reparos, o Grêmio foi superior ao Corinthians no jogo, e poderia ter ganho. Com o empate, a situação dos dois clubes na tabela permanece igual, e o Corinthians segue favorito para a conquista do Brasileirão, mas nada está decidido, ainda. No domingo, o Grêmio jogará contra o Palmeiras, na Arena. O Grêmio tende a colocar em campo um time inteiramente reserva, o que seria, mais uma vez, um erro de avaliação, pois nada garante que o clube será campeão da Libertadores, e a classificação direta para a competição do próximo ano não está garantida. Afora isso, o Corinthians jogará com o Botafogo, no Engenhão, na segunda-feira, e poderá perder pontos, o que reabriria a luta pelo título.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Empate com atuação ruim

Pouco há a dizer sobre Boa Esporte 0 x 0 Inter, hoje, no Estádio Dilzon Melo, em Varginha (MG), pelo Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. Foi um jogo sem brilho, de poucos lances ofensivos relevantes. O Inter, favorito absoluto para o jogo, obteve, apenas, um empate com atuação ruim, o que foi admitido até por sua maior estrela, D'Alessandro. Aliás, a tão esperada escalação de D'Alessandro e Camilo juntos desde o início do jogo não alcançou o êxito esperado. A novidade vinda das categorias inferiores, o garoto Jéferson, também não deu boa resposta e foi sacado, no intervalo, para a entrada de Felipe Gutiérrez. O Inter poderia, até mesmo, ter perdido, pois o Boa Esporte, mesmo vindo de três derrotas consecutivas, a última delas para o lanterna ABC, mostrou ímpeto ofensivo, só não marcando gols por falta de qualidade. O resultado, no entanto, em nada abala o Inter, que segue líder isolado. Na prática, o Inter já garantiu sua volta para a Primeira Divisão. Falta, somente, a confirmação matemática. Porém, para pretensões maiores na elite do futebol brasileiro, o Inter terá de qualificar significativamente o seu grupo de jogadores. Com o material humano de que dispõe atualmente, não poderá ter grandes aspirações.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Um país sem leitores

A quarta edição da pesquisa "Retrato da Leitura no Brasil" revelou que 74% da população do país nunca comprou um livro. A mesma pesquisa apurou que 30! % dos brasileiros nunca leram um livro. Esses dados são trágicos, e explicam muito sobre o avanço do obscurantismo no país. Como já é sabido há muito tempo, só a cidade de Buenos Aires possui mais livrarias que o Brasil inteiro. A leitura é uma fonte insuperável de informação, de alargamento de horizontes, estimula o questionamento e propicia o desenvolvimento do senso crítico. A ausência de leitura leva as pessoas a serem presas fáceis de mensagens retrógradas, do falso moralismo, do proselitismo religioso, e de todo o tipo de apelo ao conservadorismo. Ler é expandir a mente, aprendendo a pensar por conta própria. Num país onde a educação e a cultura nunca foram prioridades, esses dados não chegam a ser surpreendentes, mas nem por isso são menos chocantes. Um país sem leitores não tem futuro, está condenado ao atraso. Afinal, como dizia o célebre escritor Monteiro Lobato, um país se faz com homens e livros.

domingo, 15 de outubro de 2017

Vitória essencial

Não foi uma grande atuação, o gol só saiu nos acréscimos do jogo, mas o Grêmio, ao vencer o Coritiba por 1 x O, hoje, no Couto Pereira, pelo Campeonato Brasileiro, obteve uma vitória essencial. O resultado fez o Grêmio voltar, provisoriamente, ao segundo lugar na classificação, posição que poderá ser mantida se o Santos vier a perder para o Vitória, amanhã, na Vila Belmiro. Afora isso, o Grêmio atingiu o número de 15 vitórias no Brasileirão, apenas duas a menos do que o líder da competição, o Corinthians, contra quem jogará, na próxima rodada, no Itaquerão. Se o Grêmio vencer, a diferença entre os dois clubes cairá para seis pontos, incendiando a disputa do título, que já parecia ganho pelo Corinthians. No jogo de hoje contra o Coritiba o Grêmio teve um desempenho tecnicamente modesto, mas mostrou muita atitude. Depois de realizar um primeiro tempo ruim, o Grêmio cresceu no segundo. Erros defensivos fizeram o Grêmio correr riscos, mas o goleiro Marcelo Grohe esteve bem no jogo e impediu que o Coritiba marcasse gols. Algumas atuações individuais do Grêmio foram muito decepcionantes, casos de Jailson, Arroyo e Lucas Barrios. Edílson não pode ser titular em detrimento de Leonardo Moura, que é bem melhor tecnicamente. Porém, o que importa é a vitória, pois ela melhorou muito as perspectivas do Grêmio na classificação, e desanuviou o ambiente no momento em que se aproxima o primeiro jogo pelas semifinais da Libertadores contra o Barcelona de Guayaquil, fora de casa. O bom futebol de meses atrás ainda não retornou, mas nada é melhor para um clube do que vencer jogos. O Grêmio voltou a ganhar, e isso é o mais relevante nesse momento.

sábado, 14 de outubro de 2017

Conservadorismo juvenil

Dentre as tantas aberrações que caracterizam os tempos absurdos que a humanidade atravessa o pior de todos é o conservadorismo juvenil. Afinal, nada é mais oposto aos atributos da juventude do que uma postura conservadora. A juventude é, por natureza, impetuosa, sonhadora, inconformista, rebelde. A incerteza em relação ao futuro, e a crise das utopias, não serve como justificativa para que jovens apoiem candidatos a presidente como Jair Bolsonaro. Sem terem vivido os horrores da ditadura militar, pois não eram nascidos, muitos jovens se mostram simpáticos á intervenção fardada. Uma sociedade sem jovens sonhadores, carregados de esperança e vontade de mudar o mundo, não tem futuro. Reside nos jovens, historicamente, o impulso da mudança. O Brasil está vivendo a maior crise política de sua história. Para sair dela, o ímpeto característico dos jovens será um elemento fundamental. Urge, portanto, que se descubra porque os jovens estão apoiando ideias retrógradas. O sonho de um país melhor não pode ser abandonado pela juventude.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

A volta de Sir Paul McCartney

Exatos seis anos, onze meses e seis dias depois, Porto Alegre assistiu a volta de Sir Paul McCartney para realizar o seu segundo show na cidade. O mais lendário cantor e compositor vivo do mundo já está com 75 anos, seu rosto denuncia as marcas do tempo, mas seu carisma no palco continua intacto, encantando o público durante duas horas e cinquenta minutos de apresentação. As músicas do show incluem clássicos dos Beatles e da carreira solo de Paul, e algumas de seus discos mais recentes. Não faltaram, entre os clássicos, é claro, "Yesterday", "Something", de George Harrison, "Hey Jude" e "Let it Be". Paul incluiu na apresentação, também, outras músicas dos Beatles que não eram tocadas em shows anteriores, como "Can't buy me love", "A Hard Days Night", "Got to Get You Into My Life" e "Being For The Benefit of Mr. Kite", essa última uma composição de John Lennon incluída no disco "Sargent Peppers Lonely Hearts Club Band". Músicas como as já citadas "Hey Jude" e "Something", e outras como "Obladi, Obladá" e "Love me Do", levantaram o público, que as cantou em coro. Ao se despedir, Paul disse: "Até a próxima". Tomara que isso se confirme, e que não seja preciso esperar quase sete anos pelo retorno desse astro atemporal.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Um campeonato de baixo nível técnico

Existe um fosso, atualmente, entre o futebol praticado pela Seleção Brasileira e aquele que é visto nos estádios do país. Nada há de absurdo nesse fato. Afinal, a base da Seleção é formada por jogadores que atuam no exterior. No Brasil, os times são formados por jovens que assim que se afirmam vão para fora do país, vários jogadores medianos, e veteranos que retornam de clubes estrangeiros. O resultado disso é que o se constata no Campeonato Brasileiro. Embora conte com a participação de mais uma dezena de grandes clubes, de muita tradição e apelo popular, é um campeonato de baixo nível técnico. Os altos investimentos de alguns clubes não redundam em bons desempenhos dentro de campo. O Palmeiras, por exemplo, mesmo com gastos milionários, não consegue jogar um bom futebol. Hoje, em pleno Allianz Parque, empatou com o Bahia em 2 x 2, depois de sair ganhando por 2 x 0, e por pouco não foi derrotado. O Atlético Mineiro, talvez o maior favortmito antes da competição começar, corre riscos, até, de rebaixamento. A força de camisas gloriosas ainda garante a presença de bons públicos em muitos jogos, mas o futebol que vem sendo apresentado nos gramados brasileiros é muito pobre tecnicamente. Esse é um quadro que, lamentavelmente, não será modificado tão cedo. A questão econômica faz com que os melhores jogadores deixem o país. Para ver o melhor do futebol brasileiro, só assistindo a equipe de Tite.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Ladeira abaixo

O Grêmio segue ladeira abaixo no segundo turno do Campeonato Brasileiro. São quatro derrotas nos últimos cinco jogos. Apenas seis gols marcados em todos os jogos. Hoje, na Arena, o Grêmio perdeu para o Cruzeiro por 1 x 0, e já caiu para o quarto lugar no Brasileirão, o último a conceder classificação direta para a Libertadores. A possibilidade de o Grêmio terminar o ano sem o título da Libertadores e de ficar fora da competição no próximo ano e cada vez maior. No jogo de hoje, o Grêmio até foi superior ao Cruzeiro, mas tomou um gol de contra-ataque e não conseguiu reagir. Em dado momento do campeonato, o técnico do Grêmio, Renato, disse que o Corinthians, líder absoluto da competição, iria despencar. Porém, quem despencou foi o Grêmio. As justificativas de Renato para o péssimo momento são pueris, alegando, entre outros argumentos, que o time está com a cabeça na Libertadores, o que se reflete na produção em jogos do Campeonato Brasileiro. Ainda que existam fatores que contribuam para a queda de rendimento, como o grande número de lesões, o Grêmio decaiu demais. Não há como negar que uma onda de ceticismo sobre as possibilidades do Grêmio na Libertadores, competição onde o clube jogou todas as suas fichas, começa a se formar. O bom futebol do Grêmio, que chegou a encantar o Brasil, sumiu, e não será fácil conseguir uma retomada.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Messi desequilibrou

A Argentina estava na iminência de não se classificar para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Entre outros resultados constrangedores nas Eliminatórias da América do Sul, empatou por 0 x 0, em casa, com a Venezuela. Hoje, precisava vencer o Equador, em Quito, e saiu perdendo com um gol aos 38 segundos de jogo. O que poderia se transformar num drama, acabou numa vitória tranquila, de virada, por 3 x 1. Tudo porque Messi desequilibrou, finalmente, jogando pela Argentina. Messi marcou os três gols, e fez a diferença numa equipe sem brilho e mal escalada. O técnico Jorge Sampaoli, agora, terá mais tempo para dizer a que veio, pois a Argentina ainda não mostrou evolução sob a sua orientação. Para a Copa, é bom que a Argentina tenha garantido presença na competição, já que é uma seleção de grande tradição. Para Messi, provavelmente em sua derradeira Copa do Mundo, será a última chance de fazer história na mais importante competição do futebol mundial.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Cumprindo com o dever

Por ser o único clube grande no Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, o Inter tem a obrigação de ser o campeão da competição. Depois de um início claudicante, ficando fora da zona de classificação em várias rodadas, o Inter recuperou-se, e caminha para a conquista do título da Série B sem maiores dificuldades. Hoje, o Inter seguiu cumprindo com o dever que lhe foi imposto. Venceu o Brasil de Pelotas por 1 x 0, no Beira-Rio, num jogo que valeu mais pelo resultado do que pelo futebol mostrado em campo. Agora, matematicamente, falta muito pouco para o Inter retornar ao convívio dos grandes clubes brasileiros. Para que possa fazer uma boa campanha na Primeira Divisão, o Inter precisará qualificar bem mais o seu time. Por enquanto, basta ao clube seguir no ritmo atual, em que o objetivo a ser alcançado vale mais que o desempenho no gramado.

Batendo recordes

A Fórmula 1, como qualquer outra competição esportiva, necessita da presença de grandes talentos. São eles que garantem o interesse do público, e consolidam o prestígio da modalidade. Ao longo de sua história, ela teve pilotos da mais alta expressão, que lhe firmaram como a principal categoria do automobilismo. Nomes como Juan Manuel Fangio, Jim Clark, Graham Hill, Jackie Stewart, Niki Lauda, Alain Prost, Ayrton Senna, Michael Schumacher. Nos últimos anos, a Fórmula 1 parecia estar perdendo um tanto do seu brilho, mas a disputa pelo título desse ano desmente essa visão. Ela se dá entre dois pilotos, Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, que somam sete títulos da categoria. Com a vitória de ontem, no Grande Prêmio do Japão, Hamilton encaminhou a conquista do campeonato. Caso ela se confirme, será o seu quarto título, o que lhe levaria a empatar com o próprio Vettel e Alain Prost em número de conquistas. Em termos de vitórias, Hamilton, com a de ontem, atingiu 61, o que lhe coloca como o segundo piloto que mais venceu corridas na Fórmula 1, atrás, apenas, de Michael Schumacher, que obteve 71. Com o tempo de carreira que ainda terá pela frente, Hamilton, certamente assumirá a liderança nesse item, e tem grande chance de igualar e, até mesmo, superar os sete títulos de Schumacher. Lewis Hamilton, que é o único piloto negro da Fórmula 1, segue batendo recordes, e se inscrevendo no rol dos grandes mitos da mais importante categoria do automobilismo.

sábado, 7 de outubro de 2017

A destruição do Rio Grande do Sul

Nunca houve, em toda a história do Rio Grande do Sul, um governador mais inepto, incompetente, cínico e predatório do que José Ivo Sartori. A venda de 49% das ações do Banrisul, anunciada durante a semana, é a comprovação de que o único objetivo de Sartori é a destruição do Rio Grande do Sul. A medida é, claramente, o encaminhamento para a privatização total do banco, o que é inaceitável e injustificável fora dos conceitos doentios de mentes neoliberais. Sartori empenha-se, diuturnamente, em reduzir a pó o Estado que simula governar. Parcela salários, aniquilando material e moralmente com o funcionalismo público. Sucateou a segurança e a educação em níveis inimagináveis. Tomado por uma fúria privatista, extinguiu fundações de enorme relevância para o Estado, pretende se desfazer de empresas de importância estratégica, e, agora, ataca a jóia da coroa dos gaúchos, seu bem mais precioso, motivo de orgulho de sua população, o Banrisul. Um banco lucrativo, competitivo, cuja privatização, se efetivada, representaria a queima de patrimônio público em favor dos tubarões da iniciativa privada. O Rio Grande do Sul precisa defender o seu banco com unhas e dentes. A oposição ao governo Sartori tem de se articular e mobilizar a sociedade. Não se pode assistir, passivamente, ao aniquilamento do patrimônio estatal do Rio Grande do Sul. Para impedir isso, todos os esforços são válidos. Sartori precisa ser encarado na sua verdadeira face, a de inimigo público número um dos gaúchos.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

O drama da Argentina

O que mais chama a atenção na reta final das Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, é o drama da Argentina. A atual vice-campeã mundial corre o sério risco de não se classificar para a próxima Copa, o que seria tão surpreendente quanto vexatório para uma seleção de tamanha tradição. Ontem, nem mesmo o fato de ter jogado na Bombonera, um estádio que exerce uma enorme pressão sobre as equipes visitantes, foi capaz de fazer com que a Argentina vencesse o Peru. Com uma atuação de baixa qualidade, e a necessidade de vencer, a Argentina não conseguiu sair do 0 x 0, e vai para a última e decisiva rodada da competição, na terça-feira, para um tudo ou nada angustiante. Ganhar do Equador, que já está matematicamente eliminado, não deveria parecer algo tão difícil, mesmo que o jogo seja fora de casa. Porém, como acreditar que a Argentina consiga vencer, se não foi capaz de fazer isso numa Bombonera rugindo em seu favor? Tendo como principal destaque um dos maiores jogadores de todos os tempos, Messi, repleta de grandes valores como Di Maria, Higuain, Mascherano, Dybala, entre outros, e treinada por Jorge Sampaoli, um dos técnicos mais conceituados da atualidade, a Argentina não consegue jogar um futebol convincente, e vai acumulando tropeços. A ameaça de ficar de fora da Copa é algo cada vez mais real para a Argentina. Caso isso venha a se confirmar, será um vexame histórico, mas, também, uma ausência que tirará parte do brilho da Copa.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Só faltou o gol

O jogo, em termos práticos, pouco valia para a Seleção Brasileira, que já está classificada para a Copa do Mundo e com o primeiro lugar garantido nas Eliminatórias da América do Sul, a altitude era um temível adversário, mas, ainda assim, o empate em 0 x 0 com na Bolívia, hoje, no Hernando Siles, foi frustrante. Afinal, a Seleção não se dobrou ao ar rarefeito, foi amplamente superior em campo, e perdeu várias chances de gol durante o jogo. O goleiro Lampe, da Bolívia, foi o maior destaque da partida, com grandes defesas. Para quem não viu o jogo, o placar pode sugerir uma atuação desinteressada e burocrática da Seleção, mas isso nada tem a ver com o que ocorreu no gramado. A Seleção merecia ter vencido, só faltou o gol. Não foi apenas o futebol da Seleção que melhorou, a partir da chegada do técnico Tite, o empenho em todos os jogos, também. Depois do decepcionante desempenho na Copa do Mundo de 2014, quando jogou em casa, e o tempo perdido com a injustificável volta do técnico Dunga, a Seleção Brasileira retomou o seu rumo, e se encaminha para a Rússia, em 2018, com sobradas razões para acreditar na conquista de mais um título mundial.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Decisão emblemática

O Londrina conquistou, hoje, no Estádio do Café, o título de campeão da Copa da Primeira Liga, ao empatar em 0 x 0 com o Atlético Mineiro, e vencer por 4 x 2 nos tiros livres da marca do pênalti. Foi uma decisão emblemática, que mostrou, mais uma vez, o baixo nível técnico do futebol brasileiro na atualidade. Londrina e Atlético Mineiro fizeram um jogo fraco tecnicamente e com poucas chances de gol. O Atlético Mineiro, mesmo com jogadores como Robinho e Fred, não conseguiu se impor sobre um adversário modesto. A Copa da Primeira Liga é uma competição que, embora tenha realizado sua segunda edição, não disse a que veio e é provável que não haja uma terceira. Seja como for, para o Londrina, o título é um alento, e contribui para uma maior divulgação do clube. Para o Atlético Mineiro, que era o grande favorito da decisão, é mais um fracasso, dos tantos que vem colhendo em 2017.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Derrota

Se no Beira-Rio o Inter soma uma série de vitórias consecutivas pelo Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, fora de casa, eventualmente, enfrenta dificuldades. Foi assim, hoje, ao perder por 1 x 0 para o Paraná, na Arena da Baixada. O Paraná, entusiasmado pela boa campanha na Série B, levou o jogo do Durival Brito para a Arena da Baixada, e bateu o recorde de público do estádio, com mais de 39 mil pessoas. O Inter começou mais agressivo que o Paraná, e teve boas chances de marcar gols, mas esbarrou na grande atuação do goleiro Richard. O jogo se encaminhava para terminar sem movimentação no placar, no primeiro tempo, quando, aos 41 minutos, numa cobrança de escanteio, Maidana saltou sozinho para cabecear e fazer o único gol do jogo. Foi uma falha gritante da defesa do Inter. No segundo tempo, o Inter voltou a exercer uma forte pressão sobre o Paraná, mas Richard continuou a brilhar, e o resultado se manteve até o final. Foi uma linda festa da torcida do Paraná, se fazendo presente em grande número e colorindo o estádio. O Paraná assumiu a vice-liderança da competição, e caminha celeremente para voltar á Primeira Divisão. O Inter, mesmo com a derrota, segue líder, com seis pontos de vantagem sobre o próprio Paraná. Para o Inter, os jogos seguem sendo um mero cumprimento de tabela. O Paraná, por sua vez, a cada partida, busca concretizar o sonho da volta á elite do futebol brasileiro.

domingo, 1 de outubro de 2017

Reabilitação

Enfim, o Grêmio conseguiu a sua reabilitação no Campeonato Brasileiro. Foi de forma sofrida. Hoje, na Arena, o Grêmio venceu o Fluminense com um gol de Beto da Silva, aos 41 minutos do segundo tempo. O 0 x 0 no placar, naquele momento, já parecia definitivo, mas o gol reparou o que seria uma injustiça. O Grêmio foi superior durante todo o jogo, e merecia a vitória. O goleiro do Fluminense, Diego Cavalieri, fez várias grandes defesas, o que evidencia a boa produção ofensiva do Grêmio. O Fluminense, ao contrário, com exceção de dois lances no segundo tempo, pouco fez no ataque. Não foi por acaso que o autor do gol da vitória do Grêmio tenha sido Beto da Silva. Ele entrou no lugar de Jael, que vinha sendo a peça destoante do Grêmio em campo. Não há porque insistir com Jael. Ele já demonstrou que não está em condições de corresponder às exigências de um clube como o Grêmio. O resultado foi importantíssimo para o Grêmio romper com o ciclo negativo de derrotas e voltar a diminuir sua diferença para o líder do Brasileirão, o Corinthians, ainda que, agora, também esteja atrás do Santos. O período sem jogos, em função das partidas da Seleção Brasileira pelas Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, será desfrutado com muito mais tranquilidade pelo Grêmio, o que favorecerá a preparação para os jogos pelas semifinais da Libertadores.

sábado, 30 de setembro de 2017

O dono do time

Como se esperava, o Inter não teve dificuldades para vencer o Santa Cruz, hoje, no Beira-Rio. A vitória por 2 x 0 consolidou ainda mais o Inter como líder do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. O jogo ainda estava no início quando o Santa Cruz cometeu um pênalti infantil, proporcionando que o Inter abrisse o placar. A partida seguiu sob o controle do Inter até que, no segundo tempo, mais um gol fosse marcado. Em comum nos dois gols, o seu autor. D'Alessandro provou que continua sendo o dono do time do Inter. Foi ele que bateu o pênalti que resultou no primeiro gol. O segundo gol, muito bonito, também foi de sua autoria. Aos 36 anos, D'Alessandro já não é um garoto, mas ainda é a maior referência técnica do Inter. Seu contrato terminará no final do ano, mas é fácil prever que deverá ocorrer uma renovação. O fim do ciclo de D'Alessandro no Inter está próximo, mas não será imediato. Por mais algum tempo, D'Alessandro continuará dando as cartas no Inter.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Separatismo

A Espanha, mais uma vez, se vê diante de uma iniciativa separatista por parte da Catalunha. Tentativas nesse sentido não são novidade no mundo, em qualquer tempo, e, por vezes, conseguem o seu intento, mas são resultado de uma visão míope e sectária. Salvo alguma situação muito singular, não há vantagem numa ação secessionista. O novo país independente surgido de uma proposição como essa terá, sempre, afora a óbvia redução da extensão territorial em relação à condição anterior, uma perda substancial de relevância geopolítica no contexto internacional. Em nome de pretensos valores de identidade coletiva, busca-se fragmentar o território de um país causando um duplo prejuízo. O primeiro, para o país que tem uma parte de si arrancada. O segundo, da própria localidade rebelde, que terá de arcar com o ônus de andar com as próprias pernas com uma população e recursos reduzidos no seu montante. Na prática, todos saem perdendo. No Brasil, há os que sonham fazer do Rio Grande do Sul um país independente. Outros propõem o mesmo para a Região Sul do país. A embalar tais propostas, estão visões segregacionistas e preconceituosas em que moradores de uma unidade federativa discriminam os de outras. Unidos, os povos sempre serão mais fortes. Deve-se fomentar a integração, e não a divisão. Separatismo é algo anacrônico, característico de mentes que pararam no tempo. Espero que, mais uma vez, a tentativa da Catalunha de se separar da Espanha seja frustrada, e sonho com o dia em que propostas como essa não mais existirão em nenhum lugar do mundo.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Obscurantismo

Nada é tão ruim que não possa ficar pior. Esse parece ser o resumo do Brasil atual. A escalada do obscurantismo no país atinge proporções galopantes. A decisão do Supremo Tribunal Federal em favor do ensino religioso em escolas públicas é mais um passo rumo ao medievalismo na sociedade brasileira. O discurso fascista do presidenciável Jair Bolsonaro, a ideia de intervenção militar defendida por um oficial do Exército, o silêncio das ruas, as reformas trabalhista e previdenciária, tudo isso remete o país para um enorme retrocesso. Se nada for feito em sentido contrário, o país irá retroagir a um estágio social de décadas atrás. O Brasil vive um processo de acefalia na política, pela ausência de lideranças. Esse quadro está permitindo que os bolsões do reacionarismo tentem impor sua agenda preconceituosa. As forças vivas da sociedade brasileira não podem permitir tamanho retrocesso. Não basta o embate pelas redes sociais, é preciso ir para as ruas em defesa de um país com pluralidade de ideias e comportamento, e plenitude democrática. Os avanços obtidos ao longo de décadas de luta não podem ser destruídos pelos arautos do atraso. Chegou a hora de dar um basta. Para salvar o país e o futuro dos brasileiros.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Campeão

O Cruzeiro é o campeão da Copa do Brasil de 2017. Hoje, no Mineirão, empatou em 0 x 0 com o Flamengo, e venceu por 5 x 3 nos tiros livres da marca do pênalti. Não foi um grande jogo, pelo contrário. Cruzeiro e Flamengo jogaram um futebol pobre, de pouca ousadia, o que deixou a partida sem emoção. O Cruzeiro jogou de acordo com as ideias de seu técnico, Mano Menezes, foi pragmático, e não se expôs, mesmo que o fator local lhe fosse favorável. Com exceção de uma jogada perigosa de Guerrero, do Flamengo, já no final da partida, os ataques de ambos os times pouco produziram. O formulismo da Copa do Brasil resulta em situações como essa. Cabe lembrar que o Grêmio ganhou cinco jogos e perdeu um, durante sua participação na competição, e foi eliminado. O Cruzeiro, por sua vez, foi campeão empatando os dois jogos da decisão e vencendo a disputa dos tiros livres da marca do pênalti. O resultado fez "o Cruzeiro igualar-se ao Grêmio em número de títulos da Copa do Brasil. Agora, cada um deles tem cinco títulos cada um.

Liderança

Na disputa pela liderança do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, o Inter levou a melhor. Hoje, no Beira-Rio, o Inter venceu o América Mineiro por 2 x 1, e se tornou líder isolado da Série B. O Inter saiu na frente, cedeu o empate, que já lhe garantia o primeiro lugar na classificação, pelos critérios, mas obteve a vitória com um gol no final do jogo. Com o resultado, o Inter segue em contagem regressiva para sua volta á Primeira Divisão.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

O árbitro de vídeo

Os graves erros de arbitragem que vem ocorrendo no Campeonato Brasileiro levaram a discussão sobre a necessidade de implantação do árbitro de vídeo tomar conta do noticiário esportivo. Por incrível que pareca, há quem ponha em dúvida a eficácia da medida, e quem seja abertamente contra. Na verdade, o árbitro de vídeo já deveria ter sido implantado há muito tempo no futebol. Num esporte que movimenta quantias milionárias, não é aceitável que erros de arbitragem definam o resultado de jogos, e até mesmo de competições. A tecnologia possibilitou enormes avanços na vida das pessoas, nos últimos anos. Porque seria diferente com o futebol? Os argumentos em contrário são risíveis. Dizer que o jogo vai ficar chato e perder ritmo, ou que o erro de arbitragem faz parte do futebol é algo que não poder ser levado a sério. A cada rodada do Brasileirão fica mais evidente a necessidade desse recurso diante de erros grosseiros que tem tido influência direta em resultados, causando prejuízos técnicos para os clubes que, por vezes, são irrecuperáveis. Chega de visão tacanha e retrógrada numa questão tão relevante do futebol. O árbitro de vídeo é necessário, e deve ser implantado o quanto antes.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Os 40 anos de um título inesquecível

Na data de hoje, foram completados os 40 anos de um título inesquecível do Grêmio. Foi a conquista de um Campeonato Gaúcho, mas teve um enorme significado. Afinal, em 25 de setembro de 1977, o Grêmio punha fim a um período de oito títulos estaduais consecutivos do seu maior rival, o Inter. O jejum de conquistas foi ainda mais doloroso porque, anteriormente a essa sucessão de êxitos do Inter, o Grêmio ganhara doze campeonatos gaúchos em treze disputados. Afora isso, interromper a hegemonia do rival era uma tarefa hercúlea, pois o Inter era, também, na época, bicampeão brasileiro. Depois de uma tentativa frustrada em seu primeiro ano de mandato, quando formou um time caro mas não conseguiu o título, o presidente do Grêmio, Hélio Dourado, partiu para a contratação de veteranos desassombrados. Vieram jogadores como Oberdan, Ladinho, Tadeu Ricci, André. Eles se juntaram a jogadores experientes e com muitos anos de clube, como Ancheta, Iura e Tarciso, e a um jovem craque, de apenas 19 anos, Éder. O Grêmio ainda perdeu o primeiro turno do campeonato, mas venceu os outros dois e ganhou a decisão. Um título estadual que, pelas circunstâncias, assumiu uma grande dimensão. Na noite de hoje, o livro "O maior Campeonato Gaúcho de todos os tempos", de Daniel Rubin, foi lançado, celebrando os 40 anos do feito. Estiveram presentes ao lançamento jogadores daquele time como Ancheta, Oberdan, Cassiá, Tarciso, André e Éder. O título foi um marco na história do Grêmio, e abriu caminho para as grandes conquistas que o clube obteve nas décadas seguintes. Merece ser devidamente lembrado e comemorado.

domingo, 24 de setembro de 2017

Esbulho

A queda de rendimento do Grêmio é visível. Foram apenas quatro pontos ganhos nos últimos dezoito disputados no Campeonato Brasileiro. O ataque vive uma seca de gols. Nada disso, no entanto, autoriza a que o Grêmio seja vítima de um esbulho como o que aconteceu hoje, na Arena Fonte Nova. O jogo Bahia 1 x 0 Grêmio foi decidido pela arbitragem, que marcou um pênalti inexistente no último minuto dos acréscimos. O Grêmio jogou com sete titulares, e fazia uma partida razoável. Foi o Grêmio que teve a chance de gol mais clara do jogo. O empate, ainda que não fosse desejável por nenhum dos clubes, era um resultado justo. Porém, segundos antes do final dos acréscimos, o árbitro marcou pênalti num lance em que Edílson, do Grêmio, escorregou e não atingiu Alione, do Bahia. Um prejuízo irreparável ao Grêmio, que viu aumentar a sua distância em pontos para o líder do Brasileirão, o Corinthians, e perdeu o segundo lugar para o Santos. O árbitro que fica atrás do gol, mais uma vez, foi omisso, e confirmou que não serve para nada. O árbitro de vídeo tem de ser instituído imediatamente no futebol brasileiro, sob pena de as competições perderem totalmente a sua credibilidade.

Ruindade

Depois do que se viu ontem no estádio Lacerdão, em Caruaru, o rebaixamento do Náutico para a Terceira Divisão parece ser inevitável. O jogo Náutico 0 x 1 Inter foi de baixíssima qualidade, o que não é novidade em se tratando de partidas do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. Era a última chance do Náutico de tentar uma reviravolta na sua campanha, para evitar a queda. O Náutico, no entanto mostrou uma extrema ruindade, e não tirou proveito do gramado de má qualidade e de ter a maioria da torcida presente ao jogo. Sem fazer uma grande atuação, o Inter aproveitou-se da fragilidade do adversário para vencer o jogo e retomar a liderança da Série B. Para o Inter, a competição virou um ameno cumprimento de tabela. Para o Náutico, cada rodada é um capítulo a mais num pesadelo sem fim.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

O caos no Rio de Janeiro

Episódios de violência, insegurança da população, comunidades dominadas por facções criminosas, o poder paralelo desafiando as instituições, nada disso é novidade no Rio de Janeiro. Hoje, no entanto, esse quadro atingiu um nível de gravidade poucas vezes visto. A violência se espalhou pela cidade, e a favela da Rocinha sofreu intervenção das Forças Armadas. Porém, o processo de degradação da mais linda cidade do mundo não começou agora. Anos de incúria administrativa levaram ao panorama atual. A cidade tornou-se refém do poder do tráfico. Morros e favelas foram dominados pelo crime organizado. O caos no Rio de Janeiro é a crise do país vista com lente de aumento. O Rio é a cidade que dá identidade ao Brasil, sua melhor tradução cultural. Dentro do país, sempre coube ao Rio o papel de vanguarda nas tendências, hábitos, usos e costumes. Sua paisagem exuberante seduz nativos e estrangeiros. A agonia do Rio, portanto, não é um fato localizado, mas a expressão mais evidente do desmoronamento do país. Um país governado por golpistas e corruptos, sem rumo, minado pela ausência de perspectivas, entregue á desesperança, flertando com soluções autoritárias e antidemocráticas. Não há solução mágica, nem imediata, pára uma situação tão crítica. Um fator, entretanto, é essencial. O fosso existencial entre o morro e o "asfalto" não pode persistir. Sem justiça social é impossível construir um país estável. Sem ela, o caos se instala, a violência se banaliza, a sociedade se desumaniza. Tanques nas ruas são um remédio imediatista, como um antitérmico para um quadro febril. Para curar a infecção que gerou a febre é preciso muito mais. A receita inclui, ainda, educação e democracia. Sem isso, todas as soluções serão meramente paliativas, prolongando indefinidamente a erradicação da enfermidade que se abate sobre o tecido social brasileiro.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Semifinais definidas

A Libertadores está com as suas semifinais definidas. Os confrontos serão Grêmio x Barcelona de Guayaquil e River Plate x Lanus. Grêmio e Lanus têm a vantagem de fazerem o segundo jogo em casa. Se vierem a decidir a competição entre si, essa prerrogativa será do Lanus, por ter feito a maior pontuação na fase de grupos. O River Plate reverteu a goleada de 3 x 0 que havia sofrido do Jorge Wilstermann, em Cochabamba, e massacrou o adversário por 8 x 0, no Monumental de Nunez. O Lanus devolveu o 2 x 0 de sua derrota para o San Lorenzo, no primeiro jogo, e venceu nos tiros livres da marca do pênalti por 4 x 3. Dessa forma, já é certo que um clube argentino estará na decisão da Libertadores. Caso o Grêmio se classifique, resta saber qual adversário seria o mais interessante de ser enfrentado. O River Plate tem muito mais peso e tradição, mas, contra ele, o Grêmio faria o segundo jogo em casa. O Lanus é um clube de menor expressão, mas faria a segunda partida em casa. Seja como for, o Grêmio terá, antes, de eliminar o Barcelona de Guayaquil. Pelo futebol que vem jogando, não será uma tarefa fácil.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Sofrimento

Uma péssima atuação no primeiro tempo, razoável no segundo. Um sofrimento do início ao fim. Assim foi a vitória de 1 x 0 do Grêmio sobre o Botafogo, hoje, na Arena, pelas quartas de final da Libertadores. O Grêmio não se encontrou em momento algum do primeiro tempo, mostrava-se um time nervoso e desconjuntado. Os erros de passes se sucediam. Kannemann, um zagueiro que sempre exibe segurança, errou com frequência, proporcionando contra-ataques para o adversário. Chegar ao intervalo sem ter sofrido gol já foi muito bom para o Grêmio. No segundo tempo, o Grêmio cresceu de produção. Não foi nada capaz de despertar entusiasmo, mas acabou sendo o suficiente para obter a vitória. Com o resultado, o Grêmio classificou-se para as semifinais da Libertadores, onde será o único representante brasileiro, pois o Santos foi eliminado pelo Barcelona de Guayaquil em plena Vila Belmiro. Aliás, esse será justamente o adversário do Grêmio nas semifinais, com o segundo jogo na Arena. O Grêmio está a quatro jogos de distância do seu terceiro título de Libertadores. O sonho começa a tomar contornos de realidade.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

O distritão foi rejeitado

Como seria de se esperar, a tão propalada reforma eleitoral não deverá acontecer. As próximas eleições tendem a ser disputadas dentro das mesmas regras atuais, ainda que a necessidade de mudanças seja evidente. A principal novidade da reforma que vinha sendo aventada, a da criação de distritos eleitorais, acabou não se confirmando. O "distritão" foi rejeitado em votação realizada, hoje, na Câmara dos Deputados. Outras propostas de alterações no sistema eleitoral ainda serão votadas, mas o prazo para isso é exíguo, pois as novas regras, caso sejam adotadas, precisam ser aprovadas até outubro para que já sejam válidas nas eleições de 2018. Esse quadro não chega a ser de todo ruim. Os distritos eleitorais representam uma mudança muito grande no regramento eleitoral, sem que haja convicção de que seria um avanço. Com um Congresso Nacional que tem grande parte de seus integrantes envolvidos em denúncias de corrupção, a elaboração de uma reforma eleitoral seria uma temeridade. Por pior que sejam as regras atuais, é preferível que elas sejam mantidas até a próxima eleição, e que uma reforma profunda seja feita já sob uma nova legislatura.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O árbitro de vídeo

O "árbitro de vídeo", denominação que se dá ao recurso de verificação das imagens dos jogos de futebol nos lances mais polêmicos, é algo que há muito tempo deveria estar sendo aplicado, no mundo inteiro. Afinal, num esporte que envolve tantas paixões e um volume tão grande de dinheiro, há que se buscar a garantia da total lisura dos resultados. Estranhamente, embora a tecnologia para esse recurso já exista há muitos anos, sua utilização ainda não se disseminou. Ele foi usada no Mundial de Clubes de 2016, e vem sendo aplicado, também, em alguns campeonatos nacionais europeus. Agora, em função do polêmico gol de Jô na vitória do Corinthians sobre o Vasco, ontem, no Itaquerão, a CBF pretende começar a usar o recurso a partir da próxima rodada do Campeonato Brasileiro. A implantação apressada da medida, em uma competição que já está em andamento, pode merecer reparos, mas é preferível a uma postergação de algo tão necessário. Mesmo que ocorram imperfeições iniciais, o árbitro de vídeo tem que vir para ficar. O erro de arbitragem frauda o resultado de jogos e competições. Não pode ser tolerado.

domingo, 17 de setembro de 2017

Tropeço indesculpável

Não há argumento que possa amenizar o que aconteceu, hoje, na Arena. O Grêmio perdeu por 1 x 0 para a Chapecoense, e viu sua distância para o líder do Campeonato Brasileiro, o Corinthians, aumentar para dez pontos. O time que o Grêmio colocou em campo era forte, com sete titulares. O adversário estava na zona de rebaixamento. Tudo favorecia a que o Grêmio obtivesse uma vitória, até com facilidade. Não foi o que aconteceu. Durante o jogo inteiro, o Grêmio exerceu um domínio inócuo diante de uma Chapecoense retrancada. Não faltou esforço, mas em nenhum momento o time mostrou criatividade. Com exceção de Fernandinho, ninguém jogou bem. Após o jogo, o técnico do Grêmio, Renato, disse que o time jogou bem, mas não mereceu melhor sorte por não ter tido criatividade. Mais uma vez, Renato deu a impressão de se eximir se qualquer parcela de culpa pelo mau resultado. Foi, na verdade, um tropeço indesculpável. Está mais do que visível que o Grêmio vive uma forte queda de rendimento, e vai fragilizado para o jogo contra o Botafogo, na quarta-feira, pela Libertadores. O ano poderá acabar antes do tempo para o Grêmio, caso seja eliminado pelo Botafogo, o que seria melancólico para um clube cujo time chegou a encantar o Brasil com o seu futebol.

sábado, 16 de setembro de 2017

Goleada em tarde chuvosa

Nem mesmo o temporal que se abateu sobre Porto Alegre durante todo o dia foi obstáculo para o Inter, hoje, no Beira-Rio. Conforme o esperado, o Figueirense foi uma presa fácil para o Inter que, com uma goleada em tarde chuvosa, voltou a ser o líder do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. O placar de 3 x 0, no entanto, foi construído de forma espaçada. O Inter abriu o placar logo no início do primeiro tempo. O 2 x 0 só aconteceu no começo do segundo, e o terceiro surgiu próximo ao final do jogo. O Inter ainda perdeu várias outras chances durante a partida. Foi um resultado previsível num jogo que reunia um clube que luta pelo título da Série B e outro que está afundado na zona de rebaixamento. Os jogos restantes do Inter na competição, dada a fragilidade da maioria dos adversários, poderão se transformar em mera contagem regressiva para o retorno á Primeira Divisão.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A convocação de Arthur

Em menos de 48 horas, da noite de quarta-feira até a manhã de hoje, o volante Arthur, do Grêmio, saiu da planície para o seleto grupo de jogadores da Seleção Brasileira. Arthur tem apenas 36 jogos pelo time profissional do Grêmio, mas seu futebol já chamava a atenção dentro e fora do Rio Grande do Sul. A magnífica atuação que teve no jogo contra o Botafogo, no Engenhão, ampliou o seu bom conceito, rendendo-lhe elogios em todo o país. A recompensa ao seu bom futebol veio mais rápido do que se poderia imaginar, com a convocação de Arthur pelo técnico da Seleção,Tite, que já vinha observando-o há algum tempo, e esteve presente no Engenhão. Arthur é um cheque em branco para o Grêmio. Um jogador que tem tudo para fazer fama e fortuna na Europa. Sua inegável qualidade fez com que, no início do ano, ganhasse a posição de Maicon, o capitão da conquista da Copa do Brasil de 2016. Se mantiver o nível de atuação que apresentou contra o Botafogo, Arthur estará na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. As categorias inferiores do Grêmio seguem revelando pérolas para o clube. Walace e Pedro Rocha, negociados para clubes europeus esse ano, são provas disso. Outros jovens valores, como Patrick, por exemplo, começam a ter chances no time principal. O futuro técnico e financeiro do Grêmio está bem encaminhado.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A Calçada da Fama

Como parte da programação pela comemoração dos seus 114 anos de fundação, a serem completados amanhã, o Grêmio promoveu, na tarde de hoje, a inclusão de mais cinco jogadores na sua "Calçada da Fama". A iniciativa, que tomou forma no antigo estádio do clube, o Olímpico, foi transferida para a Arena, e, agirá, ganha continuidade. Ela consiste no registro, em cimento, dos pés, e das mãos no caso dos goleiros, de jogadores que marcaram época defendendo a camisa do clube. Hoje, deixaram sua impressões no cimento o goleiro Leão, os volantes Luís Carlos Goiano e Maicon, o meia Iura, e o atacante Paulo Nunes. Iura já havia deixado sua marca anteriormente, mas precisou repetir a ação, já que ela fora danificada. Os cinco nomes são muito representativos na extensa galeria de grandes conquistas do clube. Leão foi destaque no primeiro título de campeão brasileiro do Grêmio, em 1981. Luís Carlos Goiano e Paulo Nunes fizeram parte do grande time da era Felipão, que ganhou todos os títulos possíveis, a exceção do mundial, que perdeu nos tiros livres da marca do pênalti, para o Ajax. Iura foi um dos protagonistas do título de campeão gaúcho de 1977, quando o Grêmio quebrou uma hegemonia de oito anos do seu maior rival, o Inter. Maicon foi o capitão do mais recente grande título do Grêmio, o da Copa do Brasil de 2016. A Calçada da Fama reverência jogadores que deixaram uma contribuição indelével para a construção da grandeza do clube, seja por sua liderança em campo, pela combatividade, ou pela exuberância técnica. Nela estão registrados para a posteridade nomes como Renato, Oberdan, André, Alcindo, Aírton, De León, entre tantos outros astros imortais da constelação gremista. Uma belíssima ideia, que repercutiu amplamente junto aos torcedores desde que foi implantada, e que merece ter continuidade ao longo do tempo, preservando a memória do clube.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Confronto indefinido

Nada ficou encaminhado no primeiro jogo entre Botafogo e Grêmio pelas quartas de final da Libertadores. Hoje à noite, no Engenhão, Botafogo e Grêmio empataram em 0 x 0, o que deixa o confronto indefinido e totalmente em aberto para a segunda partida, na próxima quarta-feira, na Arena. O Grêmio considerou o resultado favorável, pois estava muito desfalcado e jogará a segunda partida em casa. Porém, não é bem assim. Como a disputa se dá no sistema de saldo qualificado, um novo 0 x 0 levará a decisão da classificação para os tiros livres da marca do pênalti, e qualquer outro empate servirá ao Botafogo. O Grêmio, portanto, é obrigado a ganhar para poder se classificar. Menos mal que o Grêmio deverá ter Geromel, Michel e Luan de volta ao time, e que a Arena receberá um dos maiores públicos de sua história, mas toda a atenção é  pouca diante de um confronto como esse. Por jogar em casa, o Grêmio tem um leve favoritismo, mas isso não lhe garante nada. Cabe ao torcedor do Grêmio segurar sua ansiedade, e tentar ser o décimo-segundo jogador em campo para levar o Grêmio às semifinais da Libertadores, o que não ocorre desde 2009.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Futebol elitizado

Mais popular dos esportes, capaz de atrair multidões como nenhum outro, o futebol está sendo descaracterizado da sua condição popular. O futebol elitizado dos dias atuais é uma negação da sua essência. Há alguns anos, foi estabelecido o "padrão Fifa" na construção de estádios, que passaram a ser confortáveis, com lugares marcados, e de menor capacidade de público. A consequência, óbvia, foi o encarecimento do preço dos ingressos, afastando dos estádios as pessoas de menores recursos financeiros. Uma amostra desse descalabro é o que acontece nos jogos do Paris Saint Germain, nas partidas como mandante pela Champions League, cuja edição 2017/2018 iniciou hoje. O ingresso mais barato para um jogo do clube em casa custa o equivalente a R$ 495. O mais caro supera os R$ 5 mil. O valor do ingresso mais barato corresponde a 10% do salário mínimo francês. Paralelamente a isso, outro fator economicamente perverso do futebol atual é o poderio financeiro desmesurado de alguns clubes em relação aos demais, o que gera um desequilíbrio técnico entre os disputantes das competições, limitando as chances de conquista de títulos a um número muito reduzido de participantes. Clubes como o já citado Paris Saint Germain, Real Madrid, Barcelona, Chelsea e Manchester City possuem uma condição financeira muito superior às dos demais, o que lhes possibilita contratar os melhores jogadores disponíveis no mercado, e transforma grande parte de seus adversários em meros coadjuvantes nas competições. Nada disso é bom para o futebol. Por mais espetaculares que possam ser os jogadores presentes em campo, nenhuma partida de futebol, isoladamente, justifica o dispêndio de mais de R$ 5 mil para ser assistida. O desequilíbrio financeiro entre os clubes diminui a competitividade e, por conseguinte, a atratividade das competições. Esse quadro não pode perdurar. O futebol é um esporte essencialmente popular. Não pode ser transformado num mero negócio milionário voltado para os torcedores de sofá e poltrona.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

A exposição

Desde ontem, um assunto tomou conta de Porto Alegre, repercutindo em todo o Brasil, e até no exterior. O fato em questão foi o cancelamento abrupto da exposição "QueerMuseu - Cartografias da diferença na arte brasileira", que estava sendo exibida no Santander Cultural desde o mês de agosto e com previsão de encerramento em outubro. A direção do centro cultural cedeu às pressões do Movimento Brasil Livre - MBL, organização de extrema direita, que chegou ao cúmulo de constranger e ofender pessoas que assistiam à exposição, e despejou protestos no site do Santander Cultural, forçando o cancelamento. A alegação para a arbitrária e obscurantista medida foi o de que a exposição fazia apologia da pedofilia e da zoofilia, e feria valores cristãos. O Brasil está sendo tomado por uma onda fascista que não pode mais ser ignorada, nem relativizada. Há uma ação deliberada com a intenção de fazer o país retroagir para níveis medievais de comportamento. A exposição foi atacada porque sua temática refletia a visão LGBT, e o MBL, como organização fascista que é, adota um discurso carregado de homofobia. Os setores mais esclarecidos da sociedade precisam deter o avanço do obscurantismo. Nenhum meio de revide deve ser descartado. Os arautos do atraso não podem ganhar terreno. Se radicalizarem em suas ações retrógradas, que recebam o troco devido. As mentes conscientes e esclarecidas não podem se curvar diante de tamanho descalabro. Chega de tolerância com os sabotadores da democracia!

domingo, 10 de setembro de 2017

Diferença mantida

A exemplo do Grêmio, o líder Corinthians também foi derrotado na rodada, e, com isso, não houve alteração na distância entre ambos na classificação do Campeonato Brasileiro. A diferença mantida, de sete pontos, ainda concede tranquilidade para o Corinthians, mesmo com sua abrupta queda de rendimento. Depois de um primeiro turno avassalador, em que terminou invicto, o Corinthians já perdeu três dos quatro jogos que realizou no segundo, e não marcou um gol sequer. Se a atual fase da competição fosse disputada de maneira isolada, o Corinthians estaria, momentaneamente, na zona de rebaixamento. A "gordura" acumulada, no entanto, e a incompetência dos adversários, que não aproveitam os seus tropeços para se aproximarem na classificação, permitem ao Corinthians manter-se como favorito para o título. Porém, ao perder por 2 x 0 para o Santos, hoje, na Vila Belmiro, o Corinthians deixou evidente que vive um mau momento técnico, e que precisa reagir rapidamente, sob pena de ver ameaçada uma conquista que parecia certa. Para o campeonato, a derrota do Corinthians foi uma boa notícia, pois evitou o encaminhamento de um desfecho antecipado. O resultado manteve Grêmio e Santos com chances de lutar pelo título. A liderança do Corinthians permanece folgada, é verdade, mas o campeão não está definido.