sexta-feira, 22 de setembro de 2017

O caos no Rio de Janeiro

Episódios de violência, insegurança da população, comunidades dominadas por facções criminosas, o poder paralelo desafiando as instituições, nada disso é novidade no Rio de Janeiro. Hoje, no entanto, esse quadro atingiu um nível de gravidade poucas vezes visto. A violência se espalhou pela cidade, e a favela da Rocinha sofreu intervenção das Forças Armadas. Porém, o processo de degradação da mais linda cidade do mundo não começou agora. Anos de incúria administrativa levaram ao panorama atual. A cidade tornou-se refém do poder do tráfico. Morros e favelas foram dominados pelo crime organizado. O caos no Rio de Janeiro é a crise do país vista com lente de aumento. O Rio é a cidade que dá identidade ao Brasil, sua melhor tradução cultural. Dentro do país, sempre coube ao Rio o papel de vanguarda nas tendências, hábitos, usos e costumes. Sua paisagem exuberante seduz nativos e estrangeiros. A agonia do Rio, portanto, não é um fato localizado, mas a expressão mais evidente do desmoronamento do país. Um país governado por golpistas e corruptos, sem rumo, minado pela ausência de perspectivas, entregue á desesperança, flertando com soluções autoritárias e antidemocráticas. Não há solução mágica, nem imediata, pára uma situação tão crítica. Um fator, entretanto, é essencial. O fosso existencial entre o morro e o "asfalto" não pode persistir. Sem justiça social é impossível construir um país estável. Sem ela, o caos se instala, a violência se banaliza, a sociedade se desumaniza. Tanques nas ruas são um remédio imediatista, como um antitérmico para um quadro febril. Para curar a infecção que gerou a febre é preciso muito mais. A receita inclui, ainda, educação e democracia. Sem isso, todas as soluções serão meramente paliativas, prolongando indefinidamente a erradicação da enfermidade que se abate sobre o tecido social brasileiro.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Semifinais definidas

A Libertadores está com as suas semifinais definidas. Os confrontos serão Grêmio x Barcelona de Guayaquil e River Plate x Lanus. Grêmio e Lanus têm a vantagem de fazerem o segundo jogo em casa. Se vierem a decidir a competição entre si, essa prerrogativa será do Lanus, por ter feito a maior pontuação na fase de grupos. O River Plate reverteu a goleada de 3 x 0 que havia sofrido do Jorge Wilstermann, em Cochabamba, e massacrou o adversário por 8 x 0, no Monumental de Nunez. O Lanus devolveu o 2 x 0 de sua derrota para o San Lorenzo, no primeiro jogo, e venceu nos tiros livres da marca do pênalti por 4 x 3. Dessa forma, já é certo que um clube argentino estará na decisão da Libertadores. Caso o Grêmio se classifique, resta saber qual adversário seria o mais interessante de ser enfrentado. O River Plate tem muito mais peso e tradição, mas, contra ele, o Grêmio faria o segundo jogo em casa. O Lanus é um clube de menor expressão, mas faria a segunda partida em casa. Seja como for, o Grêmio terá, antes, de eliminar o Barcelona de Guayaquil. Pelo futebol que vem jogando, não será uma tarefa fácil.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Sofrimento

Uma péssima atuação no primeiro tempo, razoável no segundo. Um sofrimento do início ao fim. Assim foi a vitória de 1 x 0 do Grêmio sobre o Botafogo, hoje, na Arena, pelas quartas de final da Libertadores. O Grêmio não se encontrou em momento algum do primeiro tempo, mostrava-se um time nervoso e desconjuntado. Os erros de passes se sucediam. Kannemann, um zagueiro que sempre exibe segurança, errou com frequência, proporcionando contra-ataques para o adversário. Chegar ao intervalo sem ter sofrido gol já foi muito bom para o Grêmio. No segundo tempo, o Grêmio cresceu de produção. Não foi nada capaz de despertar entusiasmo, mas acabou sendo o suficiente para obter a vitória. Com o resultado, o Grêmio classificou-se para as semifinais da Libertadores, onde será o único representante brasileiro, pois o Santos foi eliminado pelo Barcelona de Guayaquil em plena Vila Belmiro. Aliás, esse será justamente o adversário do Grêmio nas semifinais, com o segundo jogo na Arena. O Grêmio está a quatro jogos de distância do seu terceiro título de Libertadores. O sonho começa a tomar contornos de realidade.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

O distritão foi rejeitado

Como seria de se esperar, a tão propalada reforma eleitoral não deverá acontecer. As próximas eleições tendem a ser disputadas dentro das mesmas regras atuais, ainda que a necessidade de mudanças seja evidente. A principal novidade da reforma que vinha sendo aventada, a da criação de distritos eleitorais, acabou não se confirmando. O "distritão" foi rejeitado em votação realizada, hoje, na Câmara dos Deputados. Outras propostas de alterações no sistema eleitoral ainda serão votadas, mas o prazo para isso é exíguo, pois as novas regras, caso sejam adotadas, precisam ser aprovadas até outubro para que já sejam válidas nas eleições de 2018. Esse quadro não chega a ser de todo ruim. Os distritos eleitorais representam uma mudança muito grande no regramento eleitoral, sem que haja convicção de que seria um avanço. Com um Congresso Nacional que tem grande parte de seus integrantes envolvidos em denúncias de corrupção, a elaboração de uma reforma eleitoral seria uma temeridade. Por pior que sejam as regras atuais, é preferível que elas sejam mantidas até a próxima eleição, e que uma reforma profunda seja feita já sob uma nova legislatura.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O árbitro de vídeo

O "árbitro de vídeo", denominação que se dá ao recurso de verificação das imagens dos jogos de futebol nos lances mais polêmicos, é algo que há muito tempo deveria estar sendo aplicado, no mundo inteiro. Afinal, num esporte que envolve tantas paixões e um volume tão grande de dinheiro, há que se buscar a garantia da total lisura dos resultados. Estranhamente, embora a tecnologia para esse recurso já exista há muitos anos, sua utilização ainda não se disseminou. Ele foi usada no Mundial de Clubes de 2016, e vem sendo aplicado, também, em alguns campeonatos nacionais europeus. Agora, em função do polêmico gol de Jô na vitória do Corinthians sobre o Vasco, ontem, no Itaquerão, a CBF pretende começar a usar o recurso a partir da próxima rodada do Campeonato Brasileiro. A implantação apressada da medida, em uma competição que já está em andamento, pode merecer reparos, mas é preferível a uma postergação de algo tão necessário. Mesmo que ocorram imperfeições iniciais, o árbitro de vídeo tem que vir para ficar. O erro de arbitragem frauda o resultado de jogos e competições. Não pode ser tolerado.

domingo, 17 de setembro de 2017

Tropeço indesculpável

Não há argumento que possa amenizar o que aconteceu, hoje, na Arena. O Grêmio perdeu por 1 x 0 para a Chapecoense, e viu sua distância para o líder do Campeonato Brasileiro, o Corinthians, aumentar para dez pontos. O time que o Grêmio colocou em campo era forte, com sete titulares. O adversário estava na zona de rebaixamento. Tudo favorecia a que o Grêmio obtivesse uma vitória, até com facilidade. Não foi o que aconteceu. Durante o jogo inteiro, o Grêmio exerceu um domínio inócuo diante de uma Chapecoense retrancada. Não faltou esforço, mas em nenhum momento o time mostrou criatividade. Com exceção de Fernandinho, ninguém jogou bem. Após o jogo, o técnico do Grêmio, Renato, disse que o time jogou bem, mas não mereceu melhor sorte por não ter tido criatividade. Mais uma vez, Renato deu a impressão de se eximir se qualquer parcela de culpa pelo mau resultado. Foi, na verdade, um tropeço indesculpável. Está mais do que visível que o Grêmio vive uma forte queda de rendimento, e vai fragilizado para o jogo contra o Botafogo, na quarta-feira, pela Libertadores. O ano poderá acabar antes do tempo para o Grêmio, caso seja eliminado pelo Botafogo, o que seria melancólico para um clube cujo time chegou a encantar o Brasil com o seu futebol.

sábado, 16 de setembro de 2017

Goleada em tarde chuvosa

Nem mesmo o temporal que se abateu sobre Porto Alegre durante todo o dia foi obstáculo para o Inter, hoje, no Beira-Rio. Conforme o esperado, o Figueirense foi uma presa fácil para o Inter que, com uma goleada em tarde chuvosa, voltou a ser o líder do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão. O placar de 3 x 0, no entanto, foi construído de forma espaçada. O Inter abriu o placar logo no início do primeiro tempo. O 2 x 0 só aconteceu no começo do segundo, e o terceiro surgiu próximo ao final do jogo. O Inter ainda perdeu várias outras chances durante a partida. Foi um resultado previsível num jogo que reunia um clube que luta pelo título da Série B e outro que está afundado na zona de rebaixamento. Os jogos restantes do Inter na competição, dada a fragilidade da maioria dos adversários, poderão se transformar em mera contagem regressiva para o retorno á Primeira Divisão.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A convocação de Arthur

Em menos de 48 horas, da noite de quarta-feira até a manhã de hoje, o volante Arthur, do Grêmio, saiu da planície para o seleto grupo de jogadores da Seleção Brasileira. Arthur tem apenas 36 jogos pelo time profissional do Grêmio, mas seu futebol já chamava a atenção dentro e fora do Rio Grande do Sul. A magnífica atuação que teve no jogo contra o Botafogo, no Engenhão, ampliou o seu bom conceito, rendendo-lhe elogios em todo o país. A recompensa ao seu bom futebol veio mais rápido do que se poderia imaginar, com a convocação de Arthur pelo técnico da Seleção,Tite, que já vinha observando-o há algum tempo, e esteve presente no Engenhão. Arthur é um cheque em branco para o Grêmio. Um jogador que tem tudo para fazer fama e fortuna na Europa. Sua inegável qualidade fez com que, no início do ano, ganhasse a posição de Maicon, o capitão da conquista da Copa do Brasil de 2016. Se mantiver o nível de atuação que apresentou contra o Botafogo, Arthur estará na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. As categorias inferiores do Grêmio seguem revelando pérolas para o clube. Walace e Pedro Rocha, negociados para clubes europeus esse ano, são provas disso. Outros jovens valores, como Patrick, por exemplo, começam a ter chances no time principal. O futuro técnico e financeiro do Grêmio está bem encaminhado.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A Calçada da Fama

Como parte da programação pela comemoração dos seus 114 anos de fundação, a serem completados amanhã, o Grêmio promoveu, na tarde de hoje, a inclusão de mais cinco jogadores na sua "Calçada da Fama". A iniciativa, que tomou forma no antigo estádio do clube, o Olímpico, foi transferida para a Arena, e, agirá, ganha continuidade. Ela consiste no registro, em cimento, dos pés, e das mãos no caso dos goleiros, de jogadores que marcaram época defendendo a camisa do clube. Hoje, deixaram sua impressões no cimento o goleiro Leão, os volantes Luís Carlos Goiano e Maicon, o meia Iura, e o atacante Paulo Nunes. Iura já havia deixado sua marca anteriormente, mas precisou repetir a ação, já que ela fora danificada. Os cinco nomes são muito representativos na extensa galeria de grandes conquistas do clube. Leão foi destaque no primeiro título de campeão brasileiro do Grêmio, em 1981. Luís Carlos Goiano e Paulo Nunes fizeram parte do grande time da era Felipão, que ganhou todos os títulos possíveis, a exceção do mundial, que perdeu nos tiros livres da marca do pênalti, para o Ajax. Iura foi um dos protagonistas do título de campeão gaúcho de 1977, quando o Grêmio quebrou uma hegemonia de oito anos do seu maior rival, o Inter. Maicon foi o capitão do mais recente grande título do Grêmio, o da Copa do Brasil de 2016. A Calçada da Fama reverência jogadores que deixaram uma contribuição indelével para a construção da grandeza do clube, seja por sua liderança em campo, pela combatividade, ou pela exuberância técnica. Nela estão registrados para a posteridade nomes como Renato, Oberdan, André, Alcindo, Aírton, De León, entre tantos outros astros imortais da constelação gremista. Uma belíssima ideia, que repercutiu amplamente junto aos torcedores desde que foi implantada, e que merece ter continuidade ao longo do tempo, preservando a memória do clube.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Confronto indefinido

Nada ficou encaminhado no primeiro jogo entre Botafogo e Grêmio pelas quartas de final da Libertadores. Hoje à noite, no Engenhão, Botafogo e Grêmio empataram em 0 x 0, o que deixa o confronto indefinido e totalmente em aberto para a segunda partida, na próxima quarta-feira, na Arena. O Grêmio considerou o resultado favorável, pois estava muito desfalcado e jogará a segunda partida em casa. Porém, não é bem assim. Como a disputa se dá no sistema de saldo qualificado, um novo 0 x 0 levará a decisão da classificação para os tiros livres da marca do pênalti, e qualquer outro empate servirá ao Botafogo. O Grêmio, portanto, é obrigado a ganhar para poder se classificar. Menos mal que o Grêmio deverá ter Geromel, Michel e Luan de volta ao time, e que a Arena receberá um dos maiores públicos de sua história, mas toda a atenção é  pouca diante de um confronto como esse. Por jogar em casa, o Grêmio tem um leve favoritismo, mas isso não lhe garante nada. Cabe ao torcedor do Grêmio segurar sua ansiedade, e tentar ser o décimo-segundo jogador em campo para levar o Grêmio às semifinais da Libertadores, o que não ocorre desde 2009.